Discurso durante a 168ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Solidariedade da Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores ao deputado estadual Rogério Correia, relator da CPI do Narcotráfico em Minas Gerais, em virtude de tentativa de envolvê-lo em fato ocorrido com um de seus assessores.

Autor
Geraldo Cândido (PT - Partido dos Trabalhadores/RJ)
Nome completo: Geraldo Cândido da Silva
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUERITO (CPI), DROGA.:
  • Solidariedade da Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores ao deputado estadual Rogério Correia, relator da CPI do Narcotráfico em Minas Gerais, em virtude de tentativa de envolvê-lo em fato ocorrido com um de seus assessores.
Publicação
Publicação no DSF de 06/12/2000 - Página 24298
Assunto
Outros > COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUERITO (CPI), DROGA.
Indexação
  • REGISTRO, INICIATIVA, COMISSÃO EXECUTIVA NACIONAL, PARTIDO POLITICO, PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT), PUBLICAÇÃO, NOTA OFICIAL, SOLIDARIEDADE, ROGERIO CORREIA, DEPUTADO ESTADUAL, RELATOR, COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUERITO (CPI), DROGA, ESTADO DE MINAS GERAIS (MG), VITIMA, ACUSAÇÃO, PARTICIPAÇÃO, TRAFICO, ENTORPECENTE.

  SENADO FEDERAL SF -

SECRETARIA-GERAL DA MESA

SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. GERALDO CÂNDIDO (Bloco/PT - RJ. Para uma comunicação inadiável. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras e Srs. Senadores, na semana passada, a imprensa tentou envolver o Deputado Rogério Correia, do PT de Minas Gerais, Relator da CPI do Narcotráfico naquele Estado, a partir de um flagrante forjado contra um assessor do Deputado. A Polícia de Minas Gerais, pelo seu envolvimento com o narcotráfico, tentou forjar um flagrante com o digitador que trabalhava no gabinete do Deputado para tentar desmoralizar a CPI.

            Nós, do Partido dos Trabalhadores, escrevemos uma nota em defesa do Deputado Rogério Correia e em defesa da CPI, não só porque S. Exª é do PT, mas porque consideramos um absurdo que a própria Polícia tente urdir uma trama, a fim de desmoralizar um Parlamentar que vem fazendo um trabalho da maior seriedade.

            A partir de dados levantados pela Polícia Federal, verificou-se que a farsa foi criada pelos envolvidos no narcotráfico e setores da Polícia Civil. Essa operação, segundo Rogério Correia, visa desmoralizar as investigações dos Parlamentares na CPI do Narcotráfico.

            Abaixo reproduzimos a íntegra da moção:

Nota do Diretório do Partido dos Trabalhadores

Frente à tentativa de desmoralização dos trabalhos da CPI do Narcotráfico do Estado de Minas Gerais e em particular aos acontecimentos que visavam desgastar a imagem do deputado estadual Rogério Correia, do PT, Relator da referida CPI, o Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, reunido em 3 de dezembro, emite o seguinte posicionamento:

a) O DN-PT solidariza-se - integralmente - com a Comissão Parlamentar de Inquérito, instalada em Minas Gerais para apurar as atividades do narcotráfico naquele Estado. Em especial no tocante aos acontecimentos de 30 de novembro, quando foi armado um flagrante de uso de cocaína envolvendo um funcionário do gabinete parlamentar do relator da referida CPI. Como se sabe, um informante da Divisão de Tóxicos e Entorpecentes da Polícia Civil de Minas Gerais - que já se encontra foragido - preparou a farsa. Soam mais do que ridículas as afirmações, sem provas, de que o deputado estadual Rogério Correia estivesse, de qualquer forma, envolvido com o fato.

b) Tal episódio de uso de droga, induzido e preparado pelo próprio narcotráfico e setores da Polícia Civil é apenas mais um dos fatos que procuram desacreditar os movimentos e organismos voltados para enfrentar a problemática do crime organizado e suas ramificações na sociedade e em suas instituições.

c) A animosidade de vários dos suspeitos de operarem direta, ou indiretamente, os “esquemas” do narcotráfico em Minas Gerais está por trás da fracassada tentativa de desmoralização da CPI estadual. Policiais investigados, alguns inclusive já condenados, dentre outras autoridades, já haviam feito ameaças aos membros da CPI. Não há quaisquer dúvidas de que os trabalhos da CPI estão incomodando os que se locupletam com os resultados do crime organizado.

d) O DN-PT hipoteca especial solidariedade ao deputado estadual Rogério Correia, do Partido dos Trabalhadores, que, em nome da bancada parlamentar petista em Minas Gerais, assumiu a tarefa de integrar a referida CPI na condição de seu relator. Parte integrante do esforço de “varredura político-moral” que se faz atualmente no País, esta CPI deve ser apoiada e defendida integralmente.

            Sr. Presidente, Sras e Srs. Senadores, é um absurdo que um Parlamentar que, como relator da CPI do Narcotráfico, desenvolve um trabalho correto, tentando apurar as denúncias, seja envolvido numa farsa forjada pela própria polícia mineira, que está envolvida no narcotráfico. Isso é um absurdo!

            Muito obrigado.


            Modelo17/21/2412:40



Este texto não substitui o publicado no DSF de 06/12/2000 - Página 24298