Discurso durante a 154ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Análise do Relatório de Atividades do ano de 2000, da Fundação Zerbini.

Autor
Romero Jucá (PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira/RR)
Nome completo: Romero Jucá Filho
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
SAUDE.:
  • Análise do Relatório de Atividades do ano de 2000, da Fundação Zerbini.
Publicação
Publicação no DSF de 14/11/2001 - Página 28491
Assunto
Outros > SAUDE.
Indexação
  • COMENTARIO, RELATORIO, ELOGIO, ATUAÇÃO, PEDRO PIVA, SENADOR, PRESIDENTE, CONSELHO, CURADOR, FUNDAÇÃO, SAUDE, AMPLIAÇÃO, INFRAESTRUTURA, HOSPITAL, CARDIOLOGIA, MELHORIA, QUALIDADE, EFICIENCIA, ATENDIMENTO, MODERNIZAÇÃO, TRATAMENTO MEDICO, INCENTIVO, PESQUISA.
  • ELOGIO, FUNDAÇÃO, SAUDE, AMPLIAÇÃO, NUMERO, MEDICO, DENTISTA, PSICOLOGO, COMBATE, SINDROME DE IMUNODEFICIENCIA ADQUIRIDA (AIDS), DESENVOLVIMENTO, PESQUISA, ASSISTENCIA, PREVENÇÃO, CONSUMO, BEBIDA ALCOOLICA.

  SENADO FEDERAL SF -

SECRETARIA-GERAL DA MESA

SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. ROMERO JUCÁ (Bloco/PSDB - RR) - Sr. Presidente, Srªs. e Srs. Senadores, a Fundação Zerbini, cuja face mais conhecida é o Instituto do Coração - InCor, é um exemplo de como se deve proceder para expandir a promoção da saúde e as atividades assistenciais com limitação de gastos, mas sem queda de qualidade dos serviços.

            Sabemos todos, Sr. Presidente, que os serviços de saúde de que dispõe a população brasileira são extremamente onerosos, se particulares; e freqüentemente deficientes, se públicos. Os avanços tecnológicos na área médica, ao mesmo tempo que possibilitam a realização de consultas, exames e procedimentos cirúrgicos com espantosa eficácia, implicam um aporte de recursos que tendem a tornar a medicina elitista.

            A Fundação Zerbini, cujo Relatório de Atividades do ano que passou tenho em mãos, impôs-se a árdua, mas possível e louvável, tarefa de ampliar suas atividades e ainda incorporar eficiência. Não foi outro, aliás, o enfoque dado à gestão da entidade nos últimos anos, conforme acentuou, no documento, nosso ínclito colega e correligionário, Senador Pedro Piva, na condição de Presidente do Conselho Curador.

            “Ao aceitar o honroso cargo de Presidente do Conselho Curador da Fundação Zerbini - destacou Pedro Piva -, assumi o compromisso de concluir o investimento de expansão do InCor e de oferecer a todos, sem distinção social, tudo o que podia ser conquistado em qualidade, eficiência e credibilidade.”

            Entre as maiores conquistas da Fundação no ano que passou, o Senador Pedro Piva destacou a construção do Bloco II do InCor, equipado com a mais moderna tecnologia para o tratamento abrangente de cardiopatas, o que possibilitou aumentar a capacidade de atendimento para mais de 500 mil consultas por ano.

            “Além dos investimentos no InCor e nos sistemas de administração, que foram modernizados, e do apoio à Faculdade de Medicina da USP - explicou o Presidente do Conselho Curador - desenvolvemos projetos de forte impacto social na área de promoção da Saúde.” Piva se refere, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Senadores, aos programas Qualis-Zerbini, Casa da Aids e o Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas - Grea.

            O relatório destaca, entre outras realizações da Fundação Zerbini no ano que passou, a expansão do InCor e o aperfeiçoamento dos métodos gerenciais, apesar do impacto da desvalorização cambial e do não reajustamento dos preços do Sistema Único de Saúde - SUS. Os aumentos de produtividade e a implantação de uma gestão mais seletiva dos recursos permitiram minimizar esses impactos e realizar os investimentos programados, entre os quais se destacam o lançamento do Bloco II, já citado, com a participação do Ministério da Saúde, com R$5 milhões e 300 mil, e do Governo do Estado, com R$6 milhões; o dispêndio destinado a investimentos - R$41 milhões no ano passado e um total de R$109 milhões no triênio 1998-2000; a contribuição financeira da Fundação para o Hospital das Clínicas e para a Faculdade de Medicina da USP, no total de R$6 milhões e 700 mil, no ano que passou, e de R$21 milhões, no referido triênio.

            Vale destacar, Sr. Presidente, entre as realizações da Fundação no ano passado, a criação de uma área de Administração de Pesquisas, com o objetivo de promover e divulgar conhecimentos científicos e de apoiar atividades pioneiras, desenvolvidas no InCor e em outras unidades. Já no ano passado, nada menos que 46 projetos de pesquisa tiveram apoio desse novo setor.

            O InCor, especificamente, aumentou em 44% sua capacidade de internação, com a inauguração do Bloco II. Os investimentos tornaram possível realizar 500 mil consultas por ano e 30 cirurgias de alta complexidade por dia. A Fundação Zerbini arcou com 65% das despesas de custeio do InCor, no ano passado, sendo o restante coberto pelo Governo do Estado, por intermédio do Hospital das Clínicas.

            Já no início desse ano, o InCor firmou dois importantes acordos: com o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares - Ipen para fabricação, no próprio InCor, de radioisótopos de meia-vida curta, empregados em medicina nuclear; e com a empresa americana Icell, para desenvolvimento de tecnologia patenteada de nova forma de tratamento de câncer. O InCor, hoje, o quinto maior hospital do Brasil, goza de elevado conceito na comunidade médica internacional. Entre seus pacientes, 82% são do Sistema Único de Saúde, 15% são de beneficiários de convênios e seguros médicos e 3% são particulares.

            O projeto Qualis-Zerbini, implementado por Adib Jatene e David Capistrano, em 1997, trabalha hoje com 14 unidades básicas, dois ambulatórios de especialidades e a Casa de Parto. Cerca de 950 pessoas, entre médicos, enfermeiras, psicólogos, dentistas, agentes comunitários de saúde e pessoal de apoio prestam assistência a 65 mil famílias em regiões carentes de São Paulo.

            A Casa da Aids, um exemplo de sucesso no combate à epidemia, conta com equipe própria, altamente especializada, que, no ano passado, acompanhou 3.560 pacientes soropositivos e atendeu 620 novos pacientes. Ao todo, realizou 28 mil consultas médicas e 143 mil exames laboratoriais, entre outros procedimentos.

            O Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas, que desenvolve trabalhos de pesquisa, ensino, assistência e prevenção do consumo de álcool, tabaco e outras drogas, atendeu 7.236 pacientes, além de realizar pesquisas e promover palestras e cursos de extensão.

            Isso é possível, Sras. e Srs. Senadores, graças à flexibilidade administrativa e agilidade propiciadas pela Fundação Zerbini. Mas, sem dúvida, somente se viabilizou pela obstinação de uma equipe de rara competência e elevado comprometimento com o interesse social, que se propôs a provar que a integração dos sistemas público e privado, juntamente com a participação do meio acadêmico, pode gerar amplos benefícios para toda a comunidade.

            Muito obrigado.


            Modelo16/23/2411:37



Este texto não substitui o publicado no DSF de 14/11/2001 - Página 28491