Discurso durante a 167ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Visita à exposição do artista japonês Taizi Harada, na Galeria de Arte do Centro Cultural Fiesp, em São Paulo.

Autor
Romeu Tuma (PFL - Partido da Frente Liberal/SP)
Nome completo: Romeu Tuma
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
HOMENAGEM.:
  • Visita à exposição do artista japonês Taizi Harada, na Galeria de Arte do Centro Cultural Fiesp, em São Paulo.
Publicação
Publicação no DSF de 05/12/2001 - Página 30195
Assunto
Outros > HOMENAGEM.
Indexação
  • COMENTARIO, EXPOSIÇÃO, ESTADO DE SÃO PAULO (SP), TRABALHO, PINTOR, PAIS ESTRANGEIRO, JAPÃO, ELOGIO, OBRA ARTISTICA.

  SENADO FEDERAL SF -

SECRETARIA-GERAL DA MESA

SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. ROMEU TUMA (PFL - SP) - Sr. Presidente, Srªs. e Srs. Senadores, visitei em São Paulo a exposição do artista japonês Taizi Harada, cuja obra reflete a fraterna interação entre as paisagens nostálgicas do Japão e sua natureza inspiradora, e um mundo ideal de vida e formas, tudo emoldurando um profundo sentimento de amor à Natureza.

            Quadros inspirados em músicas japonesas transmitem força e energia de viver, em momentos de intensa manifestação poética. O artista afirma que “muitas delas marcaram o século XX”, e seu maior ideal é “que permaneçam no coração do povo japonês através dos séculos.”

            Também quatro belos quadros com paisagens brasileiras, fruto da sua visita ao Brasil no ano passado, estão expostos até 13 de janeiro na Galeria de Arte do Centro Cultural FIESP. Depois será a vez do Rio de Janeiro, no Museu Nacional de Belas Artes.

            Como reflexo de sua humildade e coragem de superar limitações, o conjunto da obra traz abordagem direta e peculiar dos componentes da vida contemporânea, que proporciona prazer imediato ao ser vista. O Japão, a Natureza, o modesto dia-a-dia do homem, o tranqüilo ambiente familiar, as cantigas de roda e o imaginário sincero das crianças, são seus maiores temas.

            Numa dessas canções, um gatinho chora por estar perdido e é acudido por um cachorro policial que o ajuda a encontrar os pais e a casa. Na verdade, a história fala dos sentimentos de medo, solidão e insegurança de toda criança perdida e do seu alívio ao ser socorrida pelo policial, que a leva de volta à casa.

            A exposição Japão: Terra Natal, nos contempla com a oportunidade de conhecer as raízes dos bravos imigrantes japoneses, cujos descendentes somam hoje um milhão e trezentos mil, perfeitamente integrados à nossa população, além de estreitar o intercâmbio cultural entre o Brasil e o Japão.

            Aí está um bom exemplo a ser seguido: defender as manifestações culturais do esquecimento, o que se traduz em lamentável perda cultural. Algumas canções brasileiras já não são mais aprendidas por nossas crianças. Devemos, por isso, zelar para que continuem fazendo parte do nosso rico folclore musical, já que a cultura fortalece a consciência cívica do cidadão em busca da identidade pátria.

            Enquanto convivemos com tamanhas atrocidades no mundo, a exposição de Taizi Harada nos remete a um mundo simples e universal, tão distante do conturbado cotidiano da sociedade moderna. Essa simplicidade bucólica e autêntica transmite grande paz interior. É um verdadeiro presente antecipado de Natal para os descendentes nipônicos e também para todos que visitarem essa imperdível exposição.

            Muito obrigado.


            Modelo16/22/249:24



Este texto não substitui o publicado no DSF de 05/12/2001 - Página 30195