Discurso durante a Sessão Não Deliberativa, no Senado Federal

Pronunciamento de posse no Senado, retratando sua trajetória pública.

Autor
Vasco Furlan (PPB - Partido Progressista Brasileiro/SC)
Nome completo: Vasco Fernande Furlan
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
ATUAÇÃO PARLAMENTAR.:
  • Pronunciamento de posse no Senado, retratando sua trajetória pública.
Publicação
Publicação no DSF de 26/02/2002 - Página 812
Assunto
Outros > ATUAÇÃO PARLAMENTAR.
Indexação
  • PRONUNCIAMENTO, POSSE, SENADO, COMENTARIO, ATUAÇÃO PARLAMENTAR, VIDA PUBLICA, ORADOR.

  SENADO FEDERAL SF -

SECRETARIA-GERAL DA MESA

SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. VASCO FURLAN (PPB - SC. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, nobres membros do Senado da República, nesta primeira e curta passagem por esta Casa, que acontece quando completamos trinta anos de vida pública, não poderíamos deixar de registrar a natural emoção de ocupar a tribuna deste estamento e relembrarmos aqui de todas as bandeiras que defendemos e que pregamos no exercício de nossos mandatos de Vereador, Deputado Estadual e Federal e de dirigente partidário.

            Desde 1973, quando fundamos em Blumenau a União de Vereadores de Santa Catarina, já manifestávamos a preocupação com o êxodo rural, as dívidas agrícolas, a assistência médica e aposentadoria no campo, conquistas que aconteceram na década de oitenta.

            Como Deputado Estadual, eleito em 1978 pelas regiões de Joaçaba, Concórdia e Xanxerê, lutamos pela implantação dos meios de comunicação e de estradas para o grande oeste catarinense, que assistia, na época, ao crescimento das agroindústrias, o que ocorria com a integração da suinocultura, da avicultura e do florescimento das lavouras de milho e soja.

            Eleito Deputado Federal, nossa voz se juntou a outras que clamavam e que ainda clamam por moralidade administrativa, maior celeridade da Justiça, reforma tributária e fiscal, segurança pública e melhor distribuição de renda com políticas compensatórias para corrigir desigualdades regionais e sociais e de amparo institucional às exportações.

            Como membro da Comissão de Justiça da Câmara, fomos relator da cassação dos chamados “anões do Orçamento” e, como secretário do Parlamento Latino-Americano (Parlatino), criamos a hoje consolidada Universidade Latino-Americana e do Caribe (ULAC).

            Como dirigente partidário, secretariamos a Convenção Conjunta do PDS e PDC, que resultou na fusão desses partidos e na criação do PPR, e, posteriormente, secretariamos também a convenção conjunta do PPR e PP, hoje PPB, que é o meu partido desde a primeira eleição disputada.

            Nossa presença aqui, hoje, decorre de uma coligação que em 1998 elegeu Esperidião Amin ao Governo e Jorge Bornhausen ao Senado e que, mercê de um trabalho de recomposição administrativa e financeira de Santa Catarina, devolveu ao Governo e ao povo barriga-verde a auto-estima e a autoconfiança no Governo.

            Santa Catarina, aliás, segundo o IBGE, foi o Estado que apresentou em 2001, especialmente no segundo semestre, o melhor desempenho econômico, com destaque para os setores metal-mecânico, agroindustrial, cerâmico, fruticultor, têxtil e tecnológico.

            E, como ocupávamos o cargo de Diretor do BRDE, o Banco de Desenvolvimento da Região Sul, não poderíamos deixar de ressaltar o papel que essa instituição vem desempenhando como parceira do progresso, em todos os setores de atividade, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, ao longo de quatro décadas.

            O Congresso, nestes últimos anos, vem demonstrando à Nação que pretende, por intermédio de CPIs ou mesmo por decisões internas, deixar clara sua intenção de moralizar a coisa pública, por isso aproveitamos a oportunidade para cumprimentar, desta tribuna, todos os que vêm adotando essa postura que, sem dúvida, trará resultados positivos para nossas instituições e para nossa imagem no exterior. E, àqueles que nos ajudaram a aqui chegar, o nosso sincero obrigado.

            Por último, não poderíamos também de deixar de registrar a presença na tribuna de honra de minha esposa, Srª Myrian Furlan, de meu filho Fernando e de minha nora Alexandra, que me honram com suas presenças.

            Muito obrigado, Sr. Presidente.

 

            


            Modelo14/22/2410:33



Este texto não substitui o publicado no DSF de 26/02/2002 - Página 812