Discurso durante a 56ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Realização no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, do Encontro Nacional do cabos, sargentos e taifeiros que pleiteiam a incorporação aos benefícios da lei da anistia.

Autor
Carlos Wilson (PTB - Partido Trabalhista Brasileiro/PE)
Nome completo: Carlos Wilson Rocha de Queiroz Campos
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
FORÇAS ARMADAS.:
  • Realização no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, do Encontro Nacional do cabos, sargentos e taifeiros que pleiteiam a incorporação aos benefícios da lei da anistia.
Publicação
Publicação no DSF de 09/05/2002 - Página 7613
Assunto
Outros > FORÇAS ARMADAS.
Indexação
  • REGISTRO, REALIZAÇÃO, CAMARA DOS DEPUTADOS, ENCONTRO, AMBITO NACIONAL, CABO, SARGENTO, REIVINDICAÇÃO, INCORPORAÇÃO, BENEFICIO, LEI DE ANISTIA.
  • SOLICITAÇÃO, RENAN CALHEIROS, SENADOR, FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, PRESIDENTE DA REPUBLICA, AGILIZAÇÃO, TRAMITAÇÃO, MEDIDA PROVISORIA (MPV), CONCESSÃO, BENEFICIO, LEI DE ANISTIA, CABO, SARGENTO, ATUAÇÃO, PERIODO, DITADURA.

  SENADO FEDERAL SF -

SECRETARIA-GERAL DA MESA

SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


O SENADOR CARLOS WILSON (PTB - PE) - Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, está se realizando aqui ao lado, no Auditório Nereu Ramos, da Câmara dos Deputados, um encontro nacional dos cabos e sargentos que pleiteiam incorporar-se aos benefícios da lei da anistia.

São quase mil ex-integrantes da Forças Aérea Brasileira que foram punidos através de portarias arbitrárias que, não encontraram respaldo sequer na famigerada Lei de Segurança Nacional.

Estes pais de família, alguns com mais de uma década de serviços prestados à Nação, foram obrigados por uma sucessão de portarias administrativas a se afastar do serviço que prestavam.

Razões políticas ou pessoais justificaram esta violência.

Para agravar a discriminação, esses cabos e sargentos tiveram terríveis dificuldades, alguns conseguiram, outros não, se incorporar a iniciativa privada.

Muito bem. Esta é mais uma página terrível que restou do período autoritário do militarismo que reinou neste País por 25 anos.

No meu Estado, Pernambuco, berço de André Vidal de Negreiros, um dos patronos das Forças Armadas Brasileiras, foram mais de 700 militares afastados por essa arbitrariedade.

Estes senhores agora querem ser incluídos nos benefícios da lei da anistia. Afinal, eles também foram vítimas do auroritarismo. Tiveram suas carreiras prejudicadas, suas vidas tumultuadas e o futuro de seus filhos comprometido por motivos ditos políticos.

É difícil acreditar que um governo formado por perseguidos pelo autoritarismo, por anistiados, esteja postergando a decisão de cumprir com justiça. Não se pode entender porque estes senhores, a maioria hoje sexagenários, não são logo indenizados pelo prejuízo que sofreram e reincorporados ao seu cargo, posto ou função a que fazem jus, inclusive com os direitos decorrentes do tempo em que foram arbitrariamente afastados de suas atividades remuneradas.

Conclamo os meus colegas e, em especial, o senador Renan Calheiros, meu amigo, para que dê celeridade à tramitação da medida provisória 2152-3, de 2001, que está sendo avaliada por Comissão Mista do Senado e da Câmara. Conclamo o presidente Fernando Henrique Cardoso, ele também um ex-perseguido e um anistiado, que não se transforme agora em algoz daqueles que como ele lutaram por um Brasil mais justo.

Muito obrigado.

 


Modelo1 3/3/246:11



Este texto não substitui o publicado no DSF de 09/05/2002 - Página 7613