Fala da Presidência durante a 134ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Considerações sobre o pronunciamento do Senador Sérgio Guerra.

Autor
José Sarney (PMDB - Movimento Democrático Brasileiro/AP)
Nome completo: José Sarney
Casa
Senado Federal
Tipo
Fala da Presidência
Resumo por assunto
SENADO. ATUAÇÃO PARLAMENTAR.:
  • Considerações sobre o pronunciamento do Senador Sérgio Guerra.
Publicação
Publicação no DSF de 19/08/2009 - Página 36806
Assunto
Outros > SENADO. ATUAÇÃO PARLAMENTAR.
Indexação
  • ELOGIO, COMPORTAMENTO, NATUREZA POLITICA, SERGIO GUERRA, SENADOR, REALIZAÇÃO, PRONUNCIAMENTO, REGISTRO, ORADOR, VITIMA, INJUSTIÇA, DENUNCIA, IMPRENSA, AUSENCIA, INTERESSE, INCENTIVO, CASSAÇÃO, MANDATO PARLAMENTAR.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. PRESIDENTE (José Sarney. PMDB - AP) - Senador Sérgio Guerra, eu peço aos presentes, aos Senadores que me desculpem porque, na Presidência da Casa, não posso fazer considerações. Mas eu queria dizer a V. Exª: se o seu discurso foi provocado pelas minhas palavras de ontem, eu queria me congratular porque, na realidade, se retirarmos do seu discurso as circunstâncias que são naturais pelo momento político, a estrutura de seu discurso é um código de comportamento político que deve ser seguido nesta Casa, pela sua ponderação, pelo seu equilíbrio, pela maneira com que V. Exª conduziu todas as palavras quando esteve na tribuna.

            Eu quero dizer que tenho por V. Exª o maior apreço, V. Exª sabe disso. Talvez, desta Casa, poucos sejam tão antigos amigos meus quanto V. Exª, amigo não só pessoal, mas de sua família.

            V. Exª teve um irmão que foi também quase meu irmão. Tínhamos uma ligação tão íntima que vivíamos juntos aqui, nas mesmas lutas e nos mesmos procedimentos políticos.

            Quanto à afirmação que V. Exª fez de que nunca cassou durante sua vida de Parlamentar, também estou aqui há muitos anos e nunca cassei ninguém, até mesmo porque tenho a convicção daquilo que o Senador José Agripino disse de que essa função deveria ser reservada à Justiça. Quase sempre a isenção política não pode ser presente nos julgamentos que importam questões de justiça.

            Quero dizer que, ontem, se invoquei o nome de V. Exª, em nenhum momento tive a intenção... Pelo contrário, tive a intenção de invocar um dos grandes nomes da Casa e dizer que também tinha sido vítima de injustiça. E V. Exª confirmou aqui o quanto foi agravado por elas. Reafirmou que não queria passar por elas. E eu achei e pedi, no fundo do meu discurso, que os colegas tivessem cuidado ao opinar sobre as notícias. Tivemos um colega nosso e até mesmo do meu Partido que disse que eu deveria dar explicações, porque, recebendo diárias para viajar, me hospedava na casa dos meus filhos e que eu tinha de explicar por que tinha me hospedado.

            Então, achei que, realmente, deveria pedir aos colegas desta Casa que, ao lerem essas notícias, tivessem o cuidado. E invoquei justamente o nome de V. Exª pela sua autoridade, e não, de maneira nenhuma, para criar qualquer constrangimento. Eu jamais o faria, porque, na minha vida, também nunca agredi ninguém, nunca tive essa conduta de soltar notícias.

            Estão aí os jornalistas todos, eu estou aqui há muitos anos, nunca nenhum foi procurado por mim para ter uma palavra contra qualquer pessoa ou denunciar qualquer coisa contra alguém.

            Essa conduta tem me levado a vida inteira e eu tenho me pautado por ela. Assim, eu considero o seu discurso de ponderação como um código de comportamento que se deve seguir nesta Casa.

            Muito obrigado e perdoe-me por usar esta Presidência nesse sentido.

            Com a palavra a Senadora Ideli Salvatti.


Modelo1 11/30/223:41



Este texto não substitui o publicado no DSF de 19/08/2009 - Página 36806