Discurso durante a 164ª Sessão Especial, no Senado Federal

Comemoração ao Dia Mundial do Turismo.

Autor
Serys Slhessarenko (PT - Partido dos Trabalhadores/MT)
Nome completo: Serys Marly Slhessarenko
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
HOMENAGEM. TURISMO.:
  • Comemoração ao Dia Mundial do Turismo.
Publicação
Publicação no DSF de 25/09/2009 - Página 47128
Assunto
Outros > HOMENAGEM. TURISMO.
Indexação
  • HOMENAGEM, DIA INTERNACIONAL, TURISMO, OPORTUNIDADE, DEFESA, DIVERSIDADE, RECURSOS NATURAIS, ESTADO DE MATO GROSSO (MT), ATENÇÃO, GOVERNO ESTADUAL, EMPRESA DE TURISMO, PRESERVAÇÃO, MEIO AMBIENTE, DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL, BENEFICIO, POPULAÇÃO, TURISTA, IMPORTANCIA, SERVIÇOS TURISTICOS, GARANTIA, EMPREGO, RENDA.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            A SRª SERYS SLHESSARENKO (Bloco/PT - MT. Pronuncia o seguinte discurso.) - Muito obrigada, Sr. Presidente.

            Senhoras e senhores aqui presentes, saúdo os membros da Mesa. Vou tentar me restringir ao tempo, porque, realmente, essa é uma preocupação permanente que nós temos.

            Comemorado a cada dia 27 de setembro, o Dia Mundial do Turismo foi instituído em 1979 pela Organização Mundial do Turismo, a OMT, órgão das Nações Unidas, para celebrar o aniversário da criação da entidade, o que ocorreu em 1970.

            Todo ano, um tema diferente é abordado. Em 2008, por exemplo, eu diria que um dos temas mais importantes foi abordado no encontro da OMT. Lá foi discutido o fenômeno do aquecimento global e os prejuízos que as mudanças climáticas podem causar, particularmente ao turismo.

            Com efeito, são cada vez mais frequentes nos noticiários de televisão e jornais cenas de balneários atingidos por tempestades e inundações, ou de estações de inverno fechadas por falta de neve. Este ano, aprofundando os debates, o objeto da pauta da Organização será “Mudanças Climáticas: o turismo em busca da ecoeficiência”, com foco nas soluções. Serão apresentados alguns bons resultados de práticas turísticas preservacionistas em todo o mundo.

            Mas, como praticamente todos os Srs. Senadores e as Srªs Senadoras que aqui se pronunciaram fizeram referência ao turismo nos seus Estados, é lógico que eu não vou fazer diferente. Eu sou Senadora pelo Estado de Mato Grosso e como tal vou me pronunciar.

            No Mato Grosso, por exemplo, temos procurado incentivar o etnoturismo indígena, com visitas ao Parque Nacional do Xingu. No trajeto, o turista é apresentado à paisagem local, com sua enorme biodiversidade, em virtude de constituir a área uma região de transição ecológica. Das savanas e florestas semideciduais mais secas, ao sul, passando para floresta ombrófila amazônica ao norte, atravessando cerrados, campos, florestas de várzea, florestas de terra firme e florestas em terras pretas arqueológicas.

            A Chapada dos Guimarães, próxima a Cuiabá, é outro centro de ecoturismo, assim como, um pouco mais adiante, próxima a Jaciara, a Cachoeira da Fumaça. Na direção sul, temos em Mato Grosso o Pantanal, uma planície de inundação periódica reconhecida nacional e internacionalmente pela exuberância de sua biodiversidade, que a torna uma das áreas úmidas de maior importância do globo. O Pantanal integra a bacia do alto rio Paraguai, formada pelo rio e seus tributários, principalmente os da margem esquerda.

            Em Cáceres, senhoras e senhores, temos a pesca às margens do rio Paraguai. Temos também próximo a essa região de Cáceres as cavernas de Nobres e Curvelândia, que ainda precisam ser organizadas para o turismo. E como o Mato Grosso agora foi eleita como uma das subsedes da nossa Copa do Mundo que vem aí, com certeza essa organização do turismo vai ser aperfeiçoada.

            Por outro lado, às margens do rio Araguaia, a leste, a pesca esportiva é um dos atrativos turístico naturais mais procurados de nosso Estado. São muitos hotéis e pousadas à beira-rio, dedicadas ao público entusiasta das linhas e dos anzóis.

            Fica claro, portanto, Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, que Mato Grosso é uma das áreas do mundo em que, mais agudamente, se percebe a necessidade da preservação ambiental para sustentar a atratividade das atividades turísticas. Para minha pessoa, atividade turística é a mais possível de fazer e construir a sustentabilidade. Desenvolvimento da economia com sustentabilidade, o caminho; a trilha é o turismo, eu não tenho dúvida disso.

            A temática diretriz da OMT nesses dois últimos anos, portanto, já é contemplada pelos planejadores do turismo em nosso Estado, tanto da parte do Governo quanto das empresas do setor. Por isso temos trabalhado em parceria, no sentido do benefício dos turistas e de todos os mato-grossenses.

            É importante ressaltar que a industria do turismo abrange uma grande variedade de serviços, dando emprego direito ou indireto a muitos profissionais. A movimentação dos turistas, seu transporte e a hospedagem, a orientação por guias, a impressão de mapas e prospectos, a atividade de museus e casas de espetáculos, e a confecção de bonés, camisetas e bolsas de viagem identificadas são exemplos de setores da economia local impulsionados pelo turismo. 

            Em seu extenso território, dotado de uma incrível diversidade de paisagens, o meu Mato Grosso tem opção de turismo natural para todos os gostos. Neste Dia Mundial do Turismo, dedicado ao tema da ecoeficiência na exploração das atrações naturais, temos motivo para orgulho e motivo para permanecermos alertas, de modo a conservar esse patrimônio de vida e natureza.

            Aproveito para fazer um convite a todos e a todas, aos brasileiros e às brasileiras, aos estrangeiros e às estrangeiras que passam pelo nosso País também, para que visitem Mato Grosso. A natureza é exuberante e o povo é amigo e acolhedor.

            Eu faço esta fala muito breve sobre o turismo, porque, realmente, no meu Estado, estamos necessitando, fazendo, começando, articulando, agilizando uma grande campanha de organização do turismo, em todas as áreas. Mato Grosso tem uma biodiversidde incrível, que se encontra nas cachoeiras de Jaciara, na Chapada dos Guimarães, nas grutas de Nobres e de Curvelândia, nos festivais de pesca, como o de Cáceres e outros. São coisas fantásticas. Também há as grandes lavouras. Costumo dizer que, passando perto de uma grande cachoeira, logo se vê um mar branco e as pessoas param, incrédulas, para ver o que é. São lavouras de algodão florido. São lavouras de algodão florido, senhoras e senhores, de branco, mas também já têm de rosa, de bege, de verde, de azul... Quem no mundo não quer ver uma coisa dessas?! Uma florada de algodão colorido. Isso é possível também em Mato Grosso.

            Portanto, senhoras e senhores, eu diria que o portento, a grandiosidade, o futuro do Brasil, em grande parcela de um desenvolvimento econômico com sustentabilidade ambiental, é o turismo no Brasil e em Mato Grosso também.

            Muito obrigada. (Palmas.)


Modelo1 6/16/243:47



Este texto não substitui o publicado no DSF de 25/09/2009 - Página 47128