Discurso durante a 22ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Homenagem ao padre italiano Pedro Balzi, que morreu há cinco meses, em Teresina.

Autor
Heráclito Fortes (DEM - Democratas/PI)
Nome completo: Heráclito de Sousa Fortes
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
HOMENAGEM.:
  • Homenagem ao padre italiano Pedro Balzi, que morreu há cinco meses, em Teresina.
Publicação
Publicação no DSF de 05/03/2010 - Página 5664
Assunto
Outros > HOMENAGEM.
Indexação
  • HOMENAGEM POSTUMA, AUTORIDADE RELIGIOSA, NACIONALIDADE ESTRANGEIRA, PAIS ESTRANGEIRO, ITALIA, ELOGIO, VIDA PUBLICA, ASSISTENCIA SOCIAL, ESTADO DO PIAUI (PI), RECUPERAÇÃO, VICIADO EM DROGAS.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, quero fazer um registro neste final de tarde. Amanhã, Senador Mão Santa, estarão completando cinco meses do falecimento do Padre Pedro Balzi, que ocorreu em 5 de outubro de 2009, em Teresina.

            O Padre Pedro Balzi, como todos conheciam, era uma extraordinária figura humana, de origem italiana; escolheu o Piauí como a sua trincheira de luta na defesa dos carentes, dos desassistidos, dos desviados do caminho, dos viciados, dos drogados.

            Tive com ele uma convivência de quase 20 anos. Sou testemunha da sua luta, do seu desprendimento e, acima de tudo, do seu espírito de bondade. Religioso extraordinário, que deixou, na Paróquia da Vila da Paz, uma obra social que merece a admiração de todos os piauienses.

            Amanhã será celebrada, na Paróquia, missa em sua homenagem. Eu, na impossibilidade de comparecer, já pedi a minha irmã Zélia que me representasse - também grande amiga do Padre Pedro - nessa solenidade.

            Mas quero aproveitar para registrar que Dom Sérgio da Rocha, nosso Arcebispo Metropolitano de Teresina, nomeou, para substituir Padre Pedro na sua tarefa fantástica, o Padre Daniel do Nascimento Rodrigues, que é de Teresina. Ele era auxiliar da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e, a partir do dia 14 de fevereiro, assumiu as funções de continuar os trabalhos fenomenais, fantásticos, iniciados pelo Padre Pedro.

            Mas quero registrar, também, a chegada a Teresina, procedentes de Bergamo, na Itália, de 14 membros da Associação de Amigos do Padre Pedro Balzi, que fazem uma visita anual ao Piauí, capitaneados por Oreste Fratus. Eles estão no Piauí dando andamento a obras naquela comunidade, financiados por aquela Associação, para detectar outras carências, bem como acompanhar o desenvolvimento do Projeto Esperança, que trata da adoção a distância.

            E o mais importante é afirmar que a Associação mantém o propósito de continuar assistindo a Vila da Paz, numa homenagem póstuma ao amigo Padre Pedro Balzi.

            Faço questão, para registro nos Anais desta Casa, de nominar a relação dos italianos que se encontram no Piauí. Veja bem, Senador Mão Santa, o que é a caridade, o espírito de fraternidade dos homens: deixaram a Itália, as belezas da Europa e se dirigiram todos ao Estado Piauí, a uma comunidade pobre como é a Vila da Paz.

            São eles, capitaneados por Oreste Fratus... Oreste Fratus era uma figura ligadíssima a Padre Pedro. Testemunhei o acompanhamento do Oreste... Nos últimos momentos de vida do Padre Pedro, ele se deslocou da Itália e ficou lá em Teresina. Era uma figura de uma dedicação e de uma amizade a Padre Pedro fantástica. Orestes é um dos que se dispõem a manter esse trabalho iniciado.

            Acompanha Oreste os Senhores Franca Novelli, Gualtiero Pelligioli, Arcangelo Guerini, Bruna Filippi, Rachele Cattaneo, Reginaldo Peracchi, Santino Ghilardini, Gigi Benedetti, Benito Trussardi, Lomea Bassanelli, Antonella Persiani, Gianfranco Mastrapasqua, Guiseppina Capelli.

            Senador Mão Santa, V. Exª conhece, como eu, o trabalho iniciado pelo Padre Pedro. V. Exª, como Governador do Piauí, teve, inclusive, por intermédio da Primeira-Dama Adalgisa, a possibilidade de ajudar a comunidade, como ajudou. E o trabalho do Padre Pedro, Senador João Pedro, é uma coisa fantástica. Ele era um homem vocacionado, que escolheu a comunidade mais carente de Teresina àquela época. Coincidiu, eu era Prefeito da capital; a Vila da Paz era uma invasão, e o Padre Pedro assumiu aquele trabalho, e consegui ajudá-lo, primeiro, como Prefeito e, depois, como Deputado Federal e Senador.

            Agora mesmo, nós temos a liberação de recursos para o saneamento básico do bairro, algo em torno de R$20 milhões, dependendo de liberação do Governo Federal. E tenho certeza de que o Governo será sensível, porque é uma obra altamente necessária para aquela região.

            E assumo aqui e reitero o compromisso que tive com o Padre Pedro. Quero dar continuidade a esse compromisso com o Padre Daniel e a comunidade.

            O Padre Pedro tinha uma figura que tocava o dia a dia de todo esse relacionamento, que era a Toinha, que continua no projeto.

            Quero dizer, também, ao Bispo Sérgio da Rocha, que ele vai poder contar não só com a minha participação, mas também com a de V. Exª, Senador Mão Santa, com a do Senador João Vicente. Tenho certeza de que a bancada federal também abraça essa ideia, porque o trabalho do Padre Pedro é fantástico, quer na recuperação de drogados, numa propriedade que mantém em Timon, quer no trabalho da comunidade, desenvolvendo a possibilidade de escolas profissionalizantes.

            Portanto, faço esse registro, na véspera de cinco meses da sua morte, numa homenagem a Teresina, mas numa homenagem muito carinhosa aos que moram na Vila Nossa Senhora da Paz, aos que são do Santuário da Paz de São José da Costa Rica.

            O Senador Mão Santa, Senador João Pedro, assistiu a algumas das missas de meu aniversário. Todo ano, já era uma tradição nós o comemorarmos nessa igreja construída pelo Padre Pedro; era uma comemoração, um ritual do meu aniversário a missa celebrada pelo Padre Pedro. E uma coisa de que sentirei muito falta daqui para frente é não tê-lo ministrando a missa, porque ele fazia aquilo com muito carinho, com muita amizade. E havia uma integração muito grande da comunidade.

            Repito, faço esse registro por dever de justiça, de reconhecimento, mas quero, também, louvar a atitude desse grupo de abnegados, homens e mulheres da Itália, que se deslocam para o Piauí.

            E são eles, Senador João Pedro, que conseguem doações, que conseguem donativos e remetem à comunidade para esses projetos, essas obras assistenciais que são desenvolvidas em Teresina, na Vila da Paz, iniciadas, tocadas, lideradas pelo Padre Pedro. E hoje, com a sua ausência, tenho certeza de que são inspiradas pelo seu exemplo, pelo seu ensinamento e, acima de tudo, pela força que o Padre Pedro conseguia transmitir àquelas comunidades com a sua fé, com a sua crença e, acima de tudo, com a lição de humildade.

            Padre Pedro era um homem, para que você saiba, que morava numa casa paupérrima, numa casa de taipa em frente à paróquia. Nunca quis uma residência a que poderia inclusive ter direito. Sempre foi um homem de hábitos simples, jurou pobreza e exercia aquilo com naturalidade, sem nenhuma sofisticação.

            Era um homem de hábitos modestos. Era um homem realmente vocacionado para a missão que Deus lhe confiou na Terra, que foi conseguir arrebanhar para seu lado as ovelhas desgarradas e fazer com que tivessem, por meio das suas lições, o caminho apontado para a salvação.

            Muito obrigado.


Modelo1 5/23/2412:22



Este texto não substitui o publicado no DSF de 05/03/2010 - Página 5664