Discurso durante a 104ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Citação de matérias do jornal A Gazeta, de Mato Grosso, e do jornalista Zózimo Tavares, que fazem referências à indicação do nome do Senador Mão Santa para a Vice-Presidência da República. Comentários acerca da necessidade de uma reforma político-partidária.

Autor
Romeu Tuma (PTB - Partido Trabalhista Brasileiro/SP)
Nome completo: Romeu Tuma
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
POLITICA MINERAL. ELEIÇÕES. POLITICA PARTIDARIA. SEGURANÇA NACIONAL.:
  • Citação de matérias do jornal A Gazeta, de Mato Grosso, e do jornalista Zózimo Tavares, que fazem referências à indicação do nome do Senador Mão Santa para a Vice-Presidência da República. Comentários acerca da necessidade de uma reforma político-partidária.
Publicação
Publicação no DSF de 23/06/2010 - Página 30668
Assunto
Outros > POLITICA MINERAL. ELEIÇÕES. POLITICA PARTIDARIA. SEGURANÇA NACIONAL.
Indexação
  • SUGESTÃO, PARTICIPAÇÃO, ENGENHEIRO, ESPECIALISTA, AMIANTO, DEBATE, UTILIZAÇÃO, MINERIO, CONTRIBUIÇÃO, DECISÃO, MATERIA, SENADO.
  • REGISTRO, ARTIGO DE IMPRENSA, JORNAL, A GAZETA, ESTADO DE MATO GROSSO (MT), ESTADO DO PIAUI (PI), INDICAÇÃO, MÃO SANTA, SENADOR, CANDIDATURA, VICE-PRESIDENTE DA REPUBLICA.
  • CRITICA, PARTIDO POLITICO, PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT), RECUSA, CANDIDATURA, REELEIÇÃO, AUGUSTO BOTELHO, SENADOR, OPINIÃO, ORADOR, NECESSIDADE, REFORMULAÇÃO, POLITICA PARTIDARIA, GARANTIA, DEMOCRACIA, PROCESSO, AUMENTO, DIREITOS, CANDIDATO, POSSIBILIDADE, DEBATE, AUTORITARISMO, DIREÇÃO, REPRESENTAÇÃO PARTIDARIA.
  • REGISTRO, APRESENTAÇÃO, REQUERIMENTO, AUTORIA, ORADOR, CENTRO DE INTELIGENCIA, MERCADO COMUM DO SUL (MERCOSUL), DEBATE, PROBLEMA, FRONTEIRA, COMENTARIO, ATUAÇÃO, POLICIA FEDERAL, APREENSÃO, ARMA, DROGA, CONTRABANDO, APOIO, SENADOR, PAIS ESTRANGEIRO, ARGENTINA, URGENCIA, VOTAÇÃO, REALIZAÇÃO, REUNIÃO, EXPECTATIVA, UNIFORMIZAÇÃO, INFORMAÇÕES, AGILIZAÇÃO, COMUNICAÇÃO DE DADOS.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


           O SR. ROMEU TUMA (PTB - SP. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão do orador.) - Senador Paulo Duque, cuja cabeça brilha dia e noite neste Senado, obrigado.

           A Senadora Serys saiu? (Pausa.)

           Eu queria dizer para ela que eu encontrei, no último sábado, no Mercado Municipal de São Paulo, um engenheiro estudioso do caso do amianto. Ele disse que gostaria de discutir um pouquinho mais as informações e o estudo correto sobre o amianto. Ele tem alguma dificuldade em dar algumas informações, que estão sendo distorcidas. Passei o nome dele e o cartão que me deixou ao Presidente do Sindicato dos Engenheiros - que deverá ser apresentado no próximo sábado, na Convenção Estadual do PTB, como o meu segundo suplente -, para que, realmente, aprofunde o assunto junto ao Conselho Regional de Engenharia. Poderá fazer uma relatoria aprofundada sobre o uso do amianto, para que possamos tomar uma posição nesta Casa.

           Senador Mão Santa, estou lendo aqui dois jornais, dois recortes. A Gazeta, de Mato Grosso, e um outro do jornalista Zózimo - não sei se é do Piauí. Ele faz aqui referências fortes a V. Exª como uma indicação a Vice-Presidente da República. Os dois autores, nos dois jornais, explicam quais são os motivos por que, realmente, pretendem manter a opinião com relação a V. Exª. Cumprimento V. Exª por surgir, na mão de dois jornalistas, essa hipótese para a campanha do Presidente José Serra.

           V. Exª hoje é conhecido no Brasil inteiro. O nosso partido fez a convenção e indicou o Benito Gama, como sugestão. E nós, aqui, que convivemos com V. Exª sabemos as suas características: a bondade, a figura materializada da bondade que V. Exª representa nesta Casa. Como 3º Secretário, nunca deixou de abrir este plenário quando o Presidente está em outra missão. V. Exª dirige os trabalhos com elegância, sempre respeitando os colegas, e, sem dúvida, pensando no seu povo do Piauí. V. Exª fala tão gostoso do Piauí que nós aqui até sonhamos com o Piauí e gostaríamos de estar no Delta do Parnaíba. V. Exª me convidou até para festejar as bodas de ouro naquela cidade, pela maravilha que representa. E, como água é vida, provavelmente um banho nas águas do Parnaíba poderia nos rejuvenescer e trazer, sem dúvida, uma tranquilidade maior. É claro, aqui, desta tribuna, desejo a V. Exª todo sucesso!

           Eu falava agora, com o Senador Augusto Botelho - a Senadora Serys saiu do plenário - que eu, às vezes, fico revoltado com algumas coisas da política partidária: quando a ditadura prevalece sobre a dignidade dos homens que bem representam seu partido nesta Casa ou na Câmara Federal e, por antecipação, lhes é negada a possibilidade de recandidatura. Prestam bons serviços, e não é admissível que lhes neguem a possibilidade de disputar a convenção. Acho, assim, alguma coisa muito triste, Senador Augusto Botelho.

           Perdoe-me por tratar disso. Eu não sou do seu partido, mas eu sinto no senhor um grande amigo, uma pessoa que tem uma amizade enorme neste plenário. Todo mundo tem respeito pelo senhor. Sempre leal e correto nas decisões, não falseia a verdade perante seus pares; e, principalmente, respeita as decisões do seu partido.

           De forma que temos de fazer a reforma político-partidária, e não a eleitoral. O partido tem sido fortalecido através da sua direção e, se qualquer um de nós, na apreciação da liderança, praticou qualquer ato que possa ser desleal, ela pode cassar o nosso mandato. E, quando eles falseiam conosco e tomam qualquer providência em desrespeito ao parlamentar, como se faz para tomar uma providência? Vai-se à Justiça? Não, porque o partido é fortalecido.

           Então, se nós não fizermos a reforma político-partidária para que os representantes tenham espaço para discutir seus direitos dentro das decisões do partido, dificilmente conseguiremos ter partidos fortes. Teremos partidos que geram impositores da vontade do grupo que comandam.

           Peço desculpa a V. Exª, porque é triste ouvirmos que Senadores que aqui estão e trabalham não vão poder renovar seus mandatos porque o partido alijou-os dessa possibilidade, por ter feito acordo com outro candidato que se apresentou.

           Isso é uma disputa para dentro da convenção. Não cabe, por antecipação, cortar um Senador como Augusto Botelho. Por que, na convenção, não se disputa, e os delegados escolhem seu candidato dentro do seu trabalho e daquilo que apresentam em benefício da sociedade e do próprio partido?

           Gostaria, Senador, pedindo mil desculpas à direção do seu partido, que pensassem melhor; que tivessem uma visão mais profunda das atividades que V. Exª desenvolveu durante esses anos neste plenário. Eu tenho certeza de que reconsiderariam a decisão. Sem dúvida nenhuma, nós precisamos melhorar e tratar os parlamentares com o mesmo respeito que a população tem por nós. A direção partidária deveria respeitar isso.

           Na sexta-feira, Senador Paulo Duque, eu recebi um telefonema de uma Senadora argentina. Na última reunião do Mercosul, eu apresentei um requerimento numa reunião especial das áreas de inteligência dos países que fazem parte do Mercosul para discutir umas ocorrências de fronteira, tendo como exemplo o que ocorreu na fronteira do Brasil com o Paraguai, onde tentaram matar um Senador e acabaram matando o seu motorista e ferindo o seu segurança. Então, aumenta... Agora, a Polícia Federal apreendeu mais de duas mil armas contrabandeadas através da fronteira e mais um caminhão com duas toneladas de cocaína. A ação que está havendo necessita de uma infraestrutura forte de policiamento e de segurança, passando o Brasil por uma série de tormentos que trarão, sem dúvida nenhuma, uma insegurança cada vez maior para o País.

           Então, ela quer que o meu requerimento seja votado com urgência e que essa reunião se realize num dos quatro países que estão no Mercosul. Acho que nós vamos conseguir, nessa reunião, estabelecer uma uniformização das informações, assim como uma troca rápida para que o crime não tenha a prevalência que tem tido pela falta de troca de informações entre os países.

           Com o combate de um lado só, ninguém vence, Dr. Paulo. O senhor sabe disso. Nós temos que formar uma união para poder combater o crime de forma correta, séria. Assim, a população terá mais tranquilidade e segurança no País.

           Muito obrigado, Presidente.


Modelo1 5/23/244:22



Este texto não substitui o publicado no DSF de 23/06/2010 - Página 30668