Discurso durante a 153ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Publicação nos Anais do Senado Federal, de matéria publicada na revista Veja do último final de semana, restabelecendo a verdade em relação à denúncia contra S. Exa.

Autor
Marconi Perillo (PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira/GO)
Nome completo: Marconi Ferreira Perillo Júnior
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
IMPRENSA. ELEIÇÕES.:
  • Publicação nos Anais do Senado Federal, de matéria publicada na revista Veja do último final de semana, restabelecendo a verdade em relação à denúncia contra S. Exa.
Publicação
Publicação no DSF de 02/09/2010 - Página 44598
Assunto
Outros > IMPRENSA. ELEIÇÕES.
Indexação
  • SOLICITAÇÃO, TRANSCRIÇÃO, ANAIS DO SENADO, ARTIGO DE IMPRENSA, PERIODICO, VEJA, ESTADO DE SÃO PAULO (SP), DEMONSTRAÇÃO, INOCENCIA, ORADOR, REFERENCIA, DENUNCIA, IRREGULARIDADE, EMPRESA, CONTA BANCARIA, CARATER SECRETO, EXTERIOR, REPUDIO, UTILIZAÇÃO, ESTADO, ATO ILICITO, INTERESSE, NATUREZA POLITICA, PREJUIZO, DEMOCRACIA, ESTADO DE DIREITO.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. MARCONI PERILLO (PSDB - GO. Sem apanhamento taquigráfico.) - Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, subo a esta tribuna de alma lavada, de coração tranquilo, porque a revista Veja, no último final de semana, restabeleceu a verdade em relação à denúncia de que eu seria administrador da AZTEC, uma empresa offshore sediada no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas e com uma movimentação da ordem de R$440 milhões de reais.

            Em resposta às consultas do Ministério da Justiça, o promotor suíço Daniel Tewlin afirma que uma das principais contas relacionadas na denúncia simplesmente não existe.

            À mensagem, o promotor de Zurique anexou uma comunicação do banco UBS. “O banco ressalta que o documento apresentado como prova de que haveria relações comerciais - entre o UBS e o Aztec Group - é uma falsificação”.

            Há duas semanas, o coordenador-geral do DRCI Leonardo do Couto Ribeiro, por sua vez, encarregou-se de informar ao promotor que abriu o inquérito, agora arquivado.

            A verdade, Sr. Presidente, é que, mais uma vez, a máquina do Estado foi usada para um serviço sujo, que mancha a história da democracia no Brasil cidadão, assentada na Constituição de 1998.

            A verdade, Srªs e Srs. Senadores, é que condutas dessa natureza maculam o Estado de Direito e abalam os alicerces da República.

            Mas sigo sereno e tranquilo porque me motivo pelo confronto de idéias e propostas, não pelas querelas que em nada contribuem para sedimentarmos os alicerces da vida democrática no Brasil, como legado às futuras gerações.

            Por oportuno, solicito seja registrada nos anais a matéria publicada na revista Veja.

            Muito obrigado!

 

*************************************************************************

DOCUMENTO A QUE SE REFERE O SR. SENADOR MARCONI PERILLO EM SEU PRONUNCIAMENTO

(Inserido nos termos do art. 210, inciso I e § 2º, do Regimento Interno.)

*************************************************************************

Matéria referida:

Anexo


Modelo1 5/28/244:46



Este texto não substitui o publicado no DSF de 02/09/2010 - Página 44598