Discurso durante a 172ª Sessão Não Deliberativa, no Senado Federal

Relato sobre diversos aspectos da cultura catarinense e congratulações pelo projeto Enciclopédia Catarinense.

Autor
Níura Demarchi (PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira/SC)
Nome completo: Níura Sandra Demarchi dos Santos
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
POLITICA CULTURAL.:
  • Relato sobre diversos aspectos da cultura catarinense e congratulações pelo projeto Enciclopédia Catarinense.
Publicação
Publicação no DSF de 28/10/2010 - Página 48276
Assunto
Outros > POLITICA CULTURAL.
Indexação
  • REGISTRO, DESENVOLVIMENTO CULTURAL, ESTADO DE SANTA CATARINA (SC), PATRIMONIO HISTORICO, PATRIMONIO CULTURAL, DIVERSIDADE, ENTIDADE, PROMOÇÃO, FESTA, FESTIVAL, ELOGIO, INICIATIVA, GOVERNO ESTADUAL, CRIAÇÃO, FUNDO ESPECIAL, CULTURA, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, APOIO, ELABORAÇÃO, COLEÇÃO, LIVRO, HISTORIA, MUNICIPIOS, CUMPRIMENTO, CIDADÃO, RESPONSAVEL, PROJETO, PRESENÇA, SENADO.
  • COMENTARIO, PRESTIGIO, AREA, LITERATURA, MUSICA, DANÇA, ESPECIFICAÇÃO, MUNICIPIO, JARAGUA DO SUL (SC), JOINVILLE (SC), ESTADO DE SANTA CATARINA (SC), DESENVOLVIMENTO, ORQUESTRA, FILIAL, BALE, PAIS ESTRANGEIRO, RUSSIA.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            A SRª NÍURA DEMARCHI (PSDB - SC. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão da oradora.) - Srª Presidente, Srªs e Srs. Senadores, é com muita honra que venho a esta tribuna para trazer um assunto importante do meu Estado. Essa importância se deve à cultura catarinense. Quero relatar aqui brevemente alguns aspectos da nossa cultura e do nosso povo e, ao mesmo tempo, cumprimentar os estudantes de Odontologia do Estado de Goiás e agradecer a presença a cada um deles.

            Srª Presidente, têm sede em Santa Catarina diversas instituições culturais, entre elas o Instituto Geográfico e Histórico de Santa Catarina, a Academia Catarinense de Letras e o Círculo de Arte Moderna. As mais importantes bibliotecas são: a Biblioteca Pública do Estado; a Biblioteca Pública Municipal do Estreito; as das várias escolas da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis; a Biblioteca Pública Municipal Dr. Fritz Müller, em Blumenau; a Biblioteca Municipal de Joinville, da Fundação Castelo Branco, em Lages; e a Biblioteca Pública de Jaraguá do Sul, chamada Rui Barbosa.

            Quero destacar também, culturalmente, os museus do meu Estado: o Museu Histórico da Casa Santa Catarina, de Florianópolis; a Casa de Victor Meirelles; o Museu Etnográfico, Etnológico e Botânico; o Museu de Arte Moderna; o Museu Dr. Fritz Müller, em Brusque; o Museu Weg e também o Emílio da Silva, em Jaraguá do Sul; o Museu Arquidiocesano Dom Joaquim, de Joinville. Entre outros, quero destacar os grandiosos monumentos na Ilha de Anhatomirim; as fortalezas e o Forte de Santa Cruz, construído em 1744; o Mercado Público Municipal; o prédio da Alfândega; a Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, a nossa Capital; as ruínas e construções da ilha de São Francisco do Sul e também da nossa querida Laguna, no sul do Estado.

            Quero falar também dessa cultura tão vibrante que são as festas tradicionais do nosso povo catarinense. Entre elas, destaca-se a Procissão do Senhor Jesus dos Passos, a Festa da São Sebastião do Divino Espírito Santo e a Procissão de Santa Catarina, a padroeira do nosso Estado. Outras festas importantes denotam o valor de todos os povos em grande confraternização étnica, como a Oktoberfest, em Blumenau, festa que acabou de ser realizada; a Kegelfest, em Rio do Sul; a Tirolerfest em Treze Tilias, no meio oeste do Estado catarinense, de imigração austríaca. Em Jaraguá do Sul, há a Shützenfest. Há também a Festa Nacional do Marreco, em Brusque; o Festival do Camarão, em Itapema, ao lado do Balneário Camboriú; a Marejada, em Itajaí, valorizando a imigração portuguesa, tão forte, tão enraizada no nosso Estado.

            Dizendo essas referências, senhores aqui presentes, quero reverenciar e enaltecer aqueles que cuidam da história do povo catarinense, que cuidam da sua cultura e que marcam seu tempo pela ousadia e pelo compromisso com a cultura.

            O Estado de Santa Catarina é o vigésimo maior Estado da Nação, Srª Presidente Serys Slhessarenko, e o décimo primeiro mais populoso, além de ser o nono mais povoado, com 293 Municípios. Possui mais de 95 mil quilômetros quadrados de território, sendo pouco maior que a Hungria. Em termos históricos, sua colonização foi largamente efetuada por imigrantes europeus. Tem uma economia diversificada e industrializada, é pólo exportador e consumidor, é um Estado responsável pela expansão econômica nacional, respondendo por 4% do PIB nacional.

            Acredito, Srª Senadora, Srªs e Srs. Senadores aqui presentes, que nosso País, pela sua autenticidade cultural e pela voz de seu povo, edificará ainda mais as estruturas da cultura e da educação, quando o Estado, cada vez mais, fará - e é o que faz - essa edificação, porque essa é função inerente ao Estado.

            Quero enaltecer aqui também o Governo de Santa Catarina, nas mãos do ex-Governador e atual Senador da República Luiz Henrique da Silveira e do atual Governador do Estado, Leonel Pavan, que criaram o Fundo Social no Estado de Santa Catarina. Propiciou-se, Srª Presidente, por meio desse Fundo Social, o Fundo da Cultura Catarinense.

            Da mesma forma, cumprimento a Secretaria de Educação, nas mãos primeiras do Professor Jacó Anderle, grande sociólogo, grande parceiro, uma figura fundamental para o meu Partido no Estado de Santa Catarina. Em 2003, ele iniciou um grande projeto, saudoso, querido e amado por todo o povo catarinense, processo que, recentemente, foi capitaneado pelo agora eleito Senador da República, então Secretário de Estado da Educação, Paulo Bauer, que continuou esse processo, evoluído, em encontro de educação com cultura, forma com que incentivaram o início de uma proposta genuína que trouxe ao Senado Federal hoje a Grande Enciclopédia Catarinense. Essa Enciclopédia se iniciou num projeto autêntico há quase quatorze anos e foi lançada, Srª Presidente, hoje, na Biblioteca do Senado Federal. Está aqui presente, trazendo, dentro dessa composição, as histórias de cada Município catarinense. Ou seja, além de construídas nas bases das escolas e das comunidades, essas histórias serão editadas por cérebros genuinamente regionais, na constância do cabedal de saber contemporâneo.

            Quero congratular-me com esse projeto da Enciclopédia Catarinense, que tem como responsável um ilustre catarinense, o Sr. Renê Glück, que está presente no Senado Federal, na Galeria de Honra.

            Fico muito honrada com o fato de que o senhor tenha vindo de Santa Catarina, de ônibus, para estar conosco aqui para prestar homenagem não à Senadora Níura, que está aqui temporariamente, mas, sim, ao Senado Federal, à política brasileira e à democracia brasileira. Quero lhe agradecer muito por isso e também à sua Editora, da cidade de Guaramirim.

            Ao lado dessa presença ilustre, está também Ilton Piram, grande assessor da região; Marizete, sua esposa; Marco Aurélio e Rerivelton, de Goiânia, que estão acompanhando o Sr. Renê; e também Leila, uma jaraguaense que mora em Brasília há seis anos e que está acompanhando essa comitiva que trouxe esse presente para o Senado Federal.

            Quero também lhes agradecer a homenagem a mim feita hoje, pela manhã, sabendo que muito devo fazer para merecer tal reconhecimento.

            Vendo-os aqui, lembro-me dos poetas catarinenses. Eu não poderia deixar de falar da cultura intitulada Cruz e Sousa, esse grande poeta catarinense, que fez grandes transformações. Eu não poderia deixar de citar o também grande poeta Lindolf Bell, dessa nova geração da década de 60, que foi extraordinário e que reúne todas as formas de agir e de pensar do povo catarinense.

            Além disso, quero congratular-me com a música de Santa Catarina, pois aparecerá dentro da Enciclopédia Catarinense a música que reúne hoje, no Município de Jaraguá do Sul, representantes de mais de dezessete países do nosso continente e de outros continentes que vêm a Jaraguá do Sul estudar música e fazer música pelo mundo afora. Por que não falar também do Balé Bolshoi, de Joinville, essa grande revolução da dança nacional que acontece em Joinville, Santa Catarina, próximo a Jaraguá do Sul?

            Quero dizer, Srª Presidente, que a senhora é uma amante da cultura nacional, uma amante do seu Estado, que aqui sempre fez referências profícuas e aprofundadas sobre tudo o que seu Estado construiu. Faz parte deste País esse querido Mato Grosso.

            É dever de quem ama construir um Estado e um País, e é dever de quem ama, nesse amor, demonstrar gratidão aos cidadãos que, na vanguarda do seu tempo, abrem portas e se comprometem com a evolução da cultura e da educação, que é aquilo de que este País precisa, aquilo que este País merece.

            Neste momento, quero passar à nossa Presidente do Senado um presente que foi trazido pelo Sr. Renê. É uma das partes de toda a Enciclopédia, em que todos os Municípios catarinenses serão representados. Faço questão de mostrar aqui Jaraguá do Sul, em uma das intitulações, em um dos títulos, com 230 páginas, que serão apresentadas por Município catarinense. Aqui está minha cidade, a terra de Jaraguá do Sul. Na capa deste livro, está a nossa orquestra, a Orquestra Filarmônica da Scar, uma das sociedades de cultura do meu Município, que faz um trabalho gigante. Certamente, cada Município terá na sua capa a sua predominância. Em Jaraguá do Sul, a predominância é a música, e os outros Municípios, certamente, serão colocados na capa de forma que sejam mais bem representados.

            Então, quero aqui lhe agradecer, Srª Presidente, deixando-lhe esta lembrança. Os 81 Senadores receberão um exemplar de Jaraguá do Sul, e, brevemente, a Biblioteca do Senado Federal deverá receber as 293 edições que estão sendo lançadas hoje na Biblioteca do Senado.

            Muito obrigada. Que tenhamos todos nesse domingo um grande voto, um voto de alegria, de discernimento e de muita paz no coração! É disto que nosso Brasil precisa: muita cultura, muita educação e muita paz.

            Muito obrigada, Srª Presidente, pelo tempo que me concedeu.


Modelo1 7/21/243:42



Este texto não substitui o publicado no DSF de 28/10/2010 - Página 48276