Discurso durante a 181ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Considerações acerca da eleição de S.Exa., já em primeiro turno, para o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, firmando compromisso de trabalhar muito em prol do Estado, com o apoio do governo federal e da Assembleia Legislativa.

Autor
Rosalba Ciarlini (DEM - Democratas/RN)
Nome completo: Rosalba Ciarlini Rosado
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
ELEIÇÕES. ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (RN), GOVERNO ESTADUAL. POLITICA SOCIAL. DESENVOLVIMENTO REGIONAL.:
  • Considerações acerca da eleição de S.Exa., já em primeiro turno, para o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, firmando compromisso de trabalhar muito em prol do Estado, com o apoio do governo federal e da Assembleia Legislativa.
Aparteantes
Alvaro Dias, Eduardo Suplicy, Geraldo Mesquita Júnior, José Bezerra, João Faustino, Roberto Cavalcanti.
Publicação
Publicação no DSF de 12/11/2010 - Página 50211
Assunto
Outros > ELEIÇÕES. ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (RN), GOVERNO ESTADUAL. POLITICA SOCIAL. DESENVOLVIMENTO REGIONAL.
Indexação
  • BALANÇO, ELEIÇÃO, PRIMEIRO TURNO, ORADOR, GOVERNADOR, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (RN), ACOLHIMENTO, RESPONSABILIDADE, ESCOLHA, CONSCIENTIZAÇÃO, PROBLEMA, GOVERNO ESTADUAL, ESPECIFICAÇÃO, SUPERIORIDADE, DIVIDA, APRESENTAÇÃO, COMPROMISSO, COMBATE, POBREZA, ATRASO, DESENVOLVIMENTO REGIONAL, SOLICITAÇÃO, PARCERIA, SOCIEDADE CIVIL, EMPRESARIO, SINDICATO, AGRICULTOR, EXPECTATIVA, APOIO, ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, GOVERNO FEDERAL, SENADO, IMPLEMENTAÇÃO, MELHORIA, EDUCAÇÃO, SAUDE, PROMOÇÃO, JUSTIÇA SOCIAL.
  • CONCLAMAÇÃO, APOIO, CONGRESSISTA, APROVAÇÃO, CAMARA DOS DEPUTADOS, PROPOSTA, EMENDA CONSTITUCIONAL, AUMENTO, PERIODO, LICENÇA-MATERNIDADE.
  • DEFESA, CAPACIDADE, DESENVOLVIMENTO, REGIÃO NORDESTE, CONCLAMAÇÃO, TOTAL, GOVERNADOR, REGIÃO, EMPENHO, EQUIDADE, PROGRESSO, JUSTIÇA, DIVISÃO, RESULTADO, DESENVOLVIMENTO NACIONAL, EXPECTATIVA, ETICA, DILMA ROUSSEFF, CANDIDATO ELEITO, PRESIDENTE DA REPUBLICA, COMPROMISSO, ELEITOR, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (RN).

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão da oradora.) - Obrigada, Sr. Presidente Alfredo Cotait.

            Sr. Presidente, Srªs Senadoras e Srs. Senadores, ao dirigir-me ao Senado depois das últimas eleições, penso ser de meu dever expor algumas breves reflexões acerca das imediatas consequências do pleito, do qual, graças à generosa confiança do povo de meu Estado, saí eleita, já no primeiro turno, Governadora do Rio Grande do Norte.

            O primeiro instante, todavia, não é de festa, comemoração apenas, nem só de alegria. Ao deparar-me com a vitória, pesa-me aos ombros e à consciência a enorme e grave responsabilidade de ter sido eu a escolhida pelo povo.

            Digo isto ao Senado e à Nação porque tenho a mais plena convicção de que minha eleição foi fruto menos de méritos pessoais, e deveu-se muito mais ao fato de haver o povo enxergado em mim a nova depositária de suas esperanças, tantas e tantas vezes frustradas, fazendo-me guia de suas expectativas de mudança de hábitos de governo, como se a voz anônima das urnas clamasse por um nome que fosse norte e rumo em sôfrega busca por um novo e diferente futuro.

            Por isso, o êxtase da vitória é também, ou é mais intensamente ainda, a quase angústia de uma prece, se não sofrida, mas carregada da sagrada aflição de quem se sabe muito menor que as esperanças do povo.

            Eis porque, neste instante, Sr. Presidente, para mim solene e de grande respeito ao Senado e ao Parlamento, após a unção das urnas, peço licença a V. Exªs, Sr. Presidente e Srªs e Srs. Senadores, para dirigir, no mais íntimo de minha fé pessoal, ardente prece a Deus, com a intercessão de Santa Luzia, padroeira de minha terra, Mossoró querida, não para agradecer a vitória, mas para pedir que jamais deserte de minha alma e de minha vida a firme determinação de servir ao Rio Grande do Norte e ao Brasil.

            Peço ao Provedor de todo o bem que minhas forças não se deixem iludir com a vã cobiça de mandar, mas, como na lição evangélica, o poder seja para mim nada mais que um serviço, e em minhas mãos nada caiba além do aceno, do afago, do carinho e dos calos do trabalho abnegado e honrado pelo povo do Rio Grande do Norte.

            Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, sei das enormes dificuldades com as quais terei de conviver no Governo do meu Estado. As carências são grandes, Senadores João Faustino e José Bezerra - os senhores as conhece -, e crescentes, e a dívida social é sem-fim. Não me amedronta o desafio de vencê-las, mas terei de contar com a generosa boa vontade de quantos devo chamar para compartilhar comigo o esforço ingente de arrancar o Rio Grande do Norte do passado e levá-lo a caminhar, seguro e firme, rumo ao futuro de paz, justiça, desenvolvimento e bem-estar.

            Cada um dos norte-rio-grandenses será parceiro nessa luta de todos. Homens e mulheres, jovens, entidades da sociedade civil organizada, trabalhadores, sindicatos, empresários, agricultores, todos tenham ânimo redobrado, pois a nova Governadora lhes pode assegurar obstinação sem trégua no trabalho e no esforço, para vencermos juntos o atraso, a pobreza e o descaso com que somos tratados no contexto nacional.

            Não podemos fazer sozinhos, entretanto. Faço veemente apelo de solidariedade e colaboração às instituições públicas do meu Estado, que hoje têm à frente a delegação do povo. Conto, e tenho convicção de que não me frustrarei, com o apoio de todos, a começar do atual Governador Iberê Ferreira de Souza, a quem procurarei amanhã - já solicitei audiência -, para que o novo Governo se inicie sem traumas e conflitos.

            A atual Assembleia Legislativa, tenho certeza, saberá honrar as mais nobres tradições de dignidade política de nossa terra, dotando o futuro governo, naquilo que estiver a seu alcance, dos instrumentos necessários ao êxito da missão que o povo nos concedeu.

            O Sr. João Faustino (PSDB - RN) - V. Exª me permite um aparte, Senadora Rosalba Ciarlini?

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Pois não, Senador João Faustino.

            O Sr. João Faustino (PSDB - RN) - Primeiro, eu gostaria de ressaltar um aspecto: a vitória de V. Exª, no cenário brasileiro, na eleição passada, foi consagradora. V. Exª diz que ganhou a eleição e que deve essa eleição a vários fatores. Eu citaria alguns deles: primeiro, a capacidade que V. Exª tem de aglutinar pessoas. Foi a engenharia política que V. Exª conseguiu construir que fez a sua grande vitória. A senhora juntou lideranças expressivas do Estado e, ao lado dessas lideranças, trouxe o povo para segui-la. V. Exª fará um grande Governo, não tenho a menor dúvida disso. Primeiro, pelo seu perfil: uma pessoa enérgica, mas ao mesmo tempo de diálogo; uma pessoa que respeita a individualidade, mas ao mesmo tempo quer o bem coletivo; uma pessoa que sabe o que quer e sabe fazer as coisas que precisam ser feitas. Foi assim sua história como médica pediatra, que vai ter um carinho muito especial pelas crianças que estão precisando de ajuda. Como Prefeita de Mossoró foi exemplar gestora: honesta, séria, definindo prioridades, exclusivamente direcionadas para o povo, pensando sempre no bem coletivo e se distanciando do interesse individual. Esse seu perfil, com certeza, fará com que o Rio Grande do Norte viva um novo momento. Mas eu queria, ao parabenizá-la, só pedir uma coisa: cuide da educação do Rio Grande do Norte. Nós estamos vivendo o pior momento da vida da educação de nossa juventude, de nossas crianças. Recupere a educação do Estado, reconstrua a educação do Rio Grande do Norte, que, certamente, estará fazendo com que o futuro seja melhor, o futuro de nosso Estado seja mais promissor, mais justo e expresse maior dignidade a nosso povo. Seja muito feliz e tenha muito êxito, pois quem vai ganhar é o Rio Grande do Norte! Muito obrigado.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Muito obrigada, Senador João Faustino. Uma coisa eu posso afirmar: trabalharei não apenas no limite das minhas forças, mas irei superar, sim, se Deus quiser, as forças. Estarei abnegada nesses próximos quatro anos, estarei pedindo a Deus sempre iluminação para que a possamos, realmente, fazer o Rio Grande do Norte acontecer, mas sem educação ele jamais acontecerá. Essa é uma convicção que eu trago dentro de mim, é a certeza de uma trabalhadora e é o coração de uma mãe.

            O Sr. José Bezerra (DEM - RN) - Senadora, gostaria de um aparte.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Pois não, Senador José Bezerra.

            O Sr. José Bezerra (DEM - RN) - Senadora, quero parabenizá-la pela brilhante vitória que obtivemos lá, o nosso partido e a senhora, numa campanha que foi memorável, em que lutamos contra todas as dificuldades possíveis, contra o Governo Federal, contra o Governo Estadual. A senhora saiu de uma cidade que não é a maior cidade do Estado, mas é a cidade que mais desenvolvimento obteve nos últimos anos, principalmente quando V. Exª foi Prefeita da cidade de Mossoró.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Obrigada.

            O Sr. José Bezerra (DEM - RN) - A expectativa do povo do Rio Grande do Norte é muito grande por conta do belo trabalho que V. Exª fez quando Prefeita de Mossoró, mas acho que essa expectativa, pelo que conheço de V. Exª, será completamente correspondida, pela sua dedicação, pela sua capacidade de trabalho, pela sua competência, pela sua altivez e sua garra, com certeza, irá fazer um grande choque de gestão no nosso Estado, o que é de extrema necessidade, porque o Estado está numa condição pré-falimentar pelas administrações desastrosas que passaram por lá nesses últimos oito anos. Vai precisar, realmente, de um choque de gestão muito duro para que, logo em seguida, com o Estado no trilho, como uma grande locomotiva, a senhora dê o grande salto que o Rio Grande do Norte necessita, porque as potencialidades estão lá. A energia eólica está disparando no nosso Estado, há grandes investimentos a serem feitos na energia eólica, o aeroporto está para sair, apesar desse lero-lero eterno do Governo Federal, de dizer que fez alguma obra de infraestrutura no nosso Estado, e nunca foi feito nada. Nunca foi falado, nem na campanha presidencial, por nenhum candidato a Presidente da República, sobre obras estruturantes para o desenvolvimento do Nordeste brasileiro. Acham eles que o problema do Nordeste está resolvido. Está resolvido com o Bolsa Família, parece-me, porque a história do aeroporto não sai, da Transnordestina não sai e da BR-101, que se arrasta por oito anos e não se conclui. E por aí vai. Não é dessa maneira que se desenvolve um Estado e um país. Mas está tudo armado há anos. O aeroporto está com suas pistas concluídas - já vem há quinze anos se arrastando -, o potencial natural de minério de ferro do Estado aflorando - há uma necessidade no mercado mundial de muito minério de ferro -, as potencialidades naturais, turísticas, do nosso Estado estão à disposição, e a Copa do Mundo - Natal será uma das sedes - trará grandes oportunidades ao Brasil. Tenho certeza de que V. Exª, com esse choque de gestão que dará ao Estado, que é necessário para enquadrar a máquina, para azeitar a máquina, para desenvolvê-la, será muito bem-sucedida no seu governo nos próximos oito anos, se Deus quiser. Meus parabéns, Senadora!

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Obrigada, Senador José Bezerra. O senhor aí citou um pouco do que nós temos, um potencial muito grande para o desenvolvimento, e eu sinto o quanto a minha responsabilidade é crescente, principalmente pelas expectativas que são geradas em torno do novo modelo de administração. Mas de uma coisa pode ficar certo: medidas teremos que tomar. Medidas que muitas vezes podem ser até duras e, de certa forma, não muito simpáticas. Mas eu tenho uma formação médica e, como médica, sei que muitas vezes nós temos que tomar atitudes que não são aquelas que desejaríamos para poder ter um resultado melhor, que é salvar uma vida. Então, nós vamos ter que realmente fazer tudo que for necessário para que o nosso Estado possa entrar nesses trilhos de desenvolvimento, acompanhar esse Brasil que cresce, que se desenvolve, e ter mais justiça social, com saúde e educação como prioridades. Porque de nada vale todo o nosso potencial, todas as nossas riquezas, se nós não tivermos a nossa população no caminho da educação, preparando-se para poder fazer com que as nossas riquezas se transformem em riquezas para o povo.

            Concedo o aparte ao Senador Roberto Cavalcanti.

            O Sr. Roberto Cavalcanti (Bloco/PRB - PB) - Senadora Rosalba Ciarlini, nossa mais nova Governadora do vizinho Estado do Rio Grande do Norte. Nós, da Paraíba, assistimos às dificuldades pelas quais V. Exª passou para se eleger. O Estado do Rio Grande do Norte, da mesma forma que Pernambuco, é nosso vizinho. Então, existe uma permeabilidade. Brinco sempre dizendo que somos da mesma tribo. Somos, talvez, de aldeias separadas, mas somos de aldeias próximas e da mesma tribo. Digo isso com muito respeito, porque, na verdade, sou até de origem pernambucana, morando na Paraíba há quase quarenta anos. Assisti às dificuldades pelas quais V. Exª passou, em função do panorama nacional. Existia um favoritismo, que foi consagrado nas urnas, da ex-Ministra e candidata eleita Dilma Rousseff. V. Exª apoiava candidato diferente, o candidato José Serra. Tenho certeza de que não foi fácil ser uma marca azul no mapa vermelho da Região Nordeste. Porém, conhecendo V. Exª, com quem tive a oportunidade e o privilégio de conviver durante dois anos na Comissão de Assuntos Sociais, e vendo a obstinação com a qual V. Exª se aplica nas coisas a que se propõe - na pauta da Comissão, na condução da própria Comissão, no plenário e nas outras Comissões -, eu tinha certeza de que V. Exª poderia ser vencida, mas não seria fácil vencê-la. V. Exª teve o equilíbrio, a harmonia, que foram plantados nesta Casa há algum tempo. Assisti a V. Exª no convívio com os dois outros pares que eram colegas, Senadores do Rio Grande do Norte, os Senadores Garibaldi Alves Filho e José Agripino, e eu sempre comentava, na Paraíba, que eu admirava essa união da bancada do Rio Grande do Norte. Falando isso, ouvi V. Exª dizer: “Não, bancada unida é a do Ceará. Com a minha consegui essa aproximação já a posteriori”. Mas, na verdade, durante o tempo que aqui passei, nestes dois últimos anos, assisti a essa extrema consciência de representatividade dos parlamentares do Rio Grande do Norte. Parabenizo V. Exª porque, sem dúvida, talvez este tenha sido um dos aditivos da sua vitória: essa capacidade de conciliação, essa capacidade de unir que V. Exª teve. Isso fez com que, desde as primeiras pesquisas, indicassem seu nome no topo da elegibilidade nas eleições de 2010. Na verdade, tenho certeza de que V. Exª estará na tribuna em diversos outros momentos. Este não é um discurso de despedida, mas aproveito a oportunidade, porque hoje é o dia do Rio Grande do Norte, já que nós tivemos a despedida de dois talentos que aqui estiveram na qualidade de suplentes e que lamentavelmente nos deixam a partir do dia de amanhã. Como já me referi anteriormente, isso demonstra que não é à toa que o Rio Grande do Norte é o Estado que tem se desenvolvido e terá o futuro almejado, sob o comando de V. Exª. Meus parabéns pela eleição! Meus parabéns pela bancada do Rio Grande do Norte como um todo! Parabéns a vocês que dão um exemplo de como fazer política a todo o Senado Federal!

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Muito obrigada, Senador Roberto Cavalcanti. O senhor é ali da Paraíba, Estado vizinho pelo qual tenho um carinho muito especial, pois parte da minha formação de médica foi lá. Estudei três anos na Paraíba, na cidade de João Pessoa.

            Gostaria de dizer que realmente foi uma luta muito bonita, porque enfrentei quatro candidatos: um era o Governador em exercício, candidato à reeleição, o outro era ex-Prefeito da capital e mais dois representantes de Partidos menores. Mesmo assim, conseguimos vencer no primeiro turno, mesmo tendo essa posição em defesa da candidatura do Presidente José Serra.

            O importante é que nós formamos uma aliança cujo nome era Força da União com o Senador Garibaldi, com o Senador José Agripino e muitos outros Partidos que somaram, como o Partido Verde e o PMN - o Vice-Governador é do PMN, hoje Presidente da Assembleia. Formamos essa grande aliança chamada Força da União, e o povo entendeu que era hora realmente de mudança, era hora de se pensar grande o Rio Grande do Norte - não apenas grande no nome, mas na cidadania e na oportunidade para sua gente. Esse é o norte que desejo para o nosso Estado.

            O Sr. Eduardo Suplicy (Bloco/PT - SP) - V. Exª me permite?

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Um minuto, Senador. Eu já lhe concedo um aparte.

            Aos novos Deputados estaduais que comigo foram eleitos no dia 3 de outubro dirijo não só congratulações, mas especialmente a manifestação inexorável de minha confiança de que juntos, Governadora e Assembleia, haveremos de buscar corresponder às esperanças de cada um dos votos que os norte-rio-grandenses nos confiaram.

            Da Bancada federal atual e da que acaba de ser eleita espero, em nome do bem do Rio Grande do Norte, indispensável apoio e também a ajuda de sua certamente sábia orientação e do seu desinteressado conselho.

            Refiro-me especialmente aos Senadores justa e consagradoramente reeleitos Garibaldi Filho e José Agripino Maia, os quais, juntamente com o novo Senador Garibaldi Alves, pai de Garibaldi Filho, que é o meu primeiro suplente e que vai assumir a minha cadeira a partir de 1º de janeiro...

            (Interrupção do som.)

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - ...os quais, juntamente com o novo Senador Garibaldi Alves, haverão de ser ajuda na dificuldade e tributários no reconhecimento, pelo povo, de nossos êxitos.

            Especial palavra de saudação e convocação à luta comum aos Deputados Federais Fátima Bezerra, João Maia, Henrique Eduardo Alves, Fábio Faria, Felipe Maia, Betinho Rosado, Sandra Rosado e Paulo Wagner.

            Já disse muitas vezes e quero repetir para todo o Brasil: estivemos em palanques diferentes, em uma disputa que realmente é democrática, mas agora só pode existir uma bandeira a abraçar, seja de que partido for, quem foi eleito Deputado Federal, Deputado Estadual ou Senador, a hora é de uma bandeira só e essa nós vamos abraçar, com muito carinho e amor, que é a do Rio Grande do Norte.

            O Sr. Geraldo Mesquita Júnior (PMDB - AC) - Senadora, V. Exª me permite um aparte?

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Concedo, em primeiro lugar, ao Senador Suplicy, que já havia pedido.100

            Pois não, Senador Suplicy.

            O Sr. Eduardo Suplicy (Bloco/PT - SP) - Quero cumprimentá-la, prezada Senadora Rosalba Ciarlini, pelo trabalho tão intenso, vigoroso, assertivo que V. Exª realizou nesse período em que convivemos aqui no Senado Federal. Inclusive como Presidente da Comissão de Assuntos Sociais, muitas vezes ali colaboramos, e noutros episódios também, mesmo sendo de partidos diferentes, respeitando um ao outro e percebendo a sua sensibilidade. Posso compreender as razões pelas quais o povo do Rio Grande do Norte conferiu-lhe essa tão importante vitória em sua vida. Espero que tenha todo o sucesso e possa inclusive, em cooperação com outra mulher que certamente dignificará os brasileiros, V. Exª, também como mulher, à frente do Governo do Rio Grande do Norte, possa, em cooperação com a Presidenta Dilma Rousseff, fazer do Rio Grande Norte um lugar cada vez mais aprazível, produtivo, em que também suas belezas que nos encantam sejam colocadas a disposição de cada vez mais brasileiros e de pessoas do mundo inteiro, que aproveitam as praias de Natal, bem como de todo o litoral do Rio Grande do Norte. E que também no interior, em Mossoró, sua cidade, possam os moradores do Rio Grande do Norte aproveitar os bons frutos de seu Governo. Gostaria de transmitir a V. Exª, que conhece a proposição da Renda Básica de Cidadania, que estou estimulando todas as prefeituras e governos estaduais a realizarem experiências pioneiras na direção de alcançar a meta de se prover uma renda básica como um direito à cidadania. No caso do Rio Grande do Norte, seria para os seus três milhões e duzentos mil habitantes, aproximadamente, que hoje são. Então, quero aqui me colocar à sua disposição, da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, assim como da Prefeitura e da Câmara Municipal de Mossoró, de onde V. Exª foi Prefeita. Se quiserem debater o princípio pelo qual de qualquer fonte de riqueza se pode separar os recursos para constituir um fundo que um dia vai pagar a todos, indistinta e incondicionalmente, uma renda como um direito de todos partilharem da riqueza da comunidade, do Estado e da Nação, pode contar comigo. Meus parabéns a V. Exª.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Obrigada, Senador Suplicy. Eu queria também agradecer sempre. Hoje, eu não estou me despedindo, porque estarei aqui mais tempo. Ainda temos muitas questões que quero ver se conseguimos deixar aprovadas tanto na Comissão como no plenário. E desde já peço o seu apoio, assim como o de todos os parlamentares, de todos os nossos Senadores, e sua influência junto à Câmara dos Deputados, para que possamos votar, em segundo turno, a licença maternidade de seis meses, que é a PEC... Aliás, em segundo turno não. Vamos votar na Câmara, já que foi votada aqui em dois turnos, a licença maternidade de seis meses...

(Interrupção do som.)

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - E gostaria de aproveitar que a Senadora Serys está aqui, pois sempre esteve na Frente Parlamentar Mista em defesa dos direitos da mulher e da igualdade, para dizer que sei que contarei com ela à frente de todo esse movimento. E dizer que, com relação à renda, Senador, também sempre a veremos com muito carinho. Sei da sua luta pelo seu projeto de renda mínima para todos os cidadãos. E dizer...

            O SR. PRESIDENTE (Jayme Campos. DEM - MT) - Senadora... 

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Pois não, Senador. 

            O SR. PRESIDENTE (Jayme Campos. DEM - MT) - Senadora Rosalba, V. Exª está completando os primeiros trinta minutos.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Vou concluir.

            O SR. PRESIDENTE (Jayme Campos. DEM - MT) - Gostaria que os Srs. Senadores que vão apartear a Senadora fossem breves diante dos oradores que estão inscritos, e são vários.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Pois não, Senador Geraldo Mesquita Júnior.

            O Sr. Geraldo Mesquita Júnior (PMDB - AC) - A Senadora Rosalba já falou que não se despede neste momento. Ainda bem. Vamos ficar mais um tempinho com ela aqui. Senadora Rosalba, a senhora e seus colegas Senadores do Rio Grande do Norte mencionaram o fato de que sua eleição foi difícil. Pode ter sido, mas sua eleição já era cantada em prosa e verso aqui nesta Casa há muito tempo. Muito antes das eleições, era voz corrente aqui que V. Exª surgia como a mais provável futura Governadora do Rio Grande do Norte. O Senador Suplicy vocalizou aquilo que passa no coração de todo brasileiro, o carinho que todo brasileiro tem pelo Rio Grande do Norte, terra acolhedora, povo agradável e educado. Espero que V. Exª seja muito feliz na sua gestão, tenha muita atenção com aquela população e, como disse V. Exª, priorize a educação, mas tenha o olhar para as múltiplas necessidades de um Estado como aquele. O turismo é um fator importante, mas V. Exª, que conhece, inclusive por ter sido prefeita de um grande município, sabe das necessidades e das vicissitudes por que passam os cidadãos e as cidadãs que moram no interior de um Estado como o seu. Então, tenha muita sensibilidade, tenha muita generosidade na sua conduta e no seu coração para com aquela população que foi tão acolhedora com a postulação de V. Exª. Espero o maior sucesso na sua gestão.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Obrigada, Senador Geraldo.

            Eu gostaria aqui de dizer, rapidamente, Sr. Presidente, que o turismo é uma das nossas grandes vocações. E desde já estou convidando a todos para irem ao nosso Estado ver as belezas de Natal, de nossas praias, do interior, pirâmides de sal, o único Estado em que você encontra poços de petróleo nas praças, porque o petróleo lá é em terra, da fruticultura. Enfim, um Estado que tem muita coisa que vocês precisam conhecer, ver e amar. Sei que jamais conseguirão amar tanto quanto eu, porque, realmente, aquela terra sempre me encantou e já se apoderou de todo o meu coração.

            Sr. Presidente, Srªs Senadores, Srs. Senadores, nunca é demais...

            O Sr. Alvaro Dias (PSDB - PR) - Senadora Rosalba, antes de concluir, se V. Exª me permitir...

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Pois não, Senador.

            O Sr. Alvaro Dias (PSDB - PR) - A síntese não desvaloriza, mas se recomenda em função do momento que nós estamos vivendo aqui no plenário. Então, eu vou sintetizar a homenagem do meu Partido a V. Exª. Primeiramente, os cumprimentos pela fantástica vitória já no primeiro turno.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Obrigada, Senador.

            O Sr. Alvaro Dias (PSDB - PR) - Isso é gratificante porque é a resposta do povo do Rio Grande do Norte à competência de V. Exª demonstrada na prefeitura e no Senado Federal. O Executivo realiza mais. O Executivo gratifica. As coisas aparecem, são concretas. A realização do político no Executivo é infinitamente superior à sua realização no Legislativo. E nós temos a convicção de que V. Exª se realizará de forma absoluta governando o Estado do Rio Grande do Norte. Seja muito feliz. Leve o seu talento e a sua competência a serviço do povo do seu Estado.

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Muito obrigada, Senador. Eu gostaria também de dizer a V. Exª e a todos, inclusive ao Senador Suplicy, que vou precisar muito do apoio de todos aqui.

(Interrupção do som )

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - Vou precisar sim, porque muitos projetos nós estaremos iniciando e, com certeza, vamos ter que ter uma sintonia perfeita com esta Casa e com o Governo Federal.

            Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, nunca é demais refletir acerca de uma constatação sempre alardeada, nada obstante nunca completamente feita realidade na consciência nacional.

            Refiro-me às potencialidades do Nordeste, terra de paradoxos, convivendo secularmente com a fatalidade de outras regiões terem sido, no curso da história, as escolhidas para serem agraciadas com as atenções e os investimentos nacionais.

            É certo ter-se dado isto mais pela premência do retorno do que se estava investindo, e menos pela criteriosa análise econômica do mais eficaz em nome do futuro de desenvolvimento para toda a Nação. Investir onde a natureza parece ser menos áspera ou onde já o País instalara equipamentos de produção econômica, em perverso círculo vicioso, sempre dará mais imediato retorno que em áreas onde tudo se deverá fazer do começo e onde as inclemências naturais deverão ser mais fortemente domadas.

            É preciso que o País perceba, entretanto, que a saturação econômica também tem seus limites, inclusive sociais, e urge agregar todo o Brasil ao esforço de superar-se, especialmente quando a concorrência mundial ameaça-nos com a frustração de quanto até aqui construímos.

            O Rio Grande do Norte precisa, quer, e deve estar nesse novo contexto de desenvolvimento nacional. Certamente não será aqui e agora que a futura Governadora exaltará todas as nossas potencialidades específicas, mas tenho como meu mais exigente dever elevar nossa estatura política. E aqui dou as mãos aos novos Governadores do Nordeste, eleitos e reeleitos, aos quais calorosamente saúdo, chamando-os não à competição entre os nossos Estados, mas ao esforço pelo desenvolvimento integrado, harmônico e justo da nossa região.

            Engrandecer a nossa estatura política não é trazer a conta ao Governo Federal. Ao contrário, é antes redobrar esforços para que o País inteiro, a começar pelo Congresso Nacional, compreenda que o desenvolvimento não pode ter credores e devedores, uns pagando pelas migalhas restadas aos outros, mas o progresso deve ser obra de todos, para que todos possam partilhar justamente os resultados todos da riqueza nacional.

            Nesse sentido, Sr. Presidente, precisamos, os nordestinos e os norte-rio-grandenses, dos investimentos que nos possam igualar aos Estados mais desenvolvidos, não no estágio atual de sua pujança, mas nos primórdios históricos da atenção nacional, que nos foi dramaticamente negada.

            O Rio Grande do Norte e sua futura Governadora confiam em que a futura Presidente Dilma Rousseff saberá compreender este momento crucial da convivência nacional. À nova Presidente da República, desta tribuna, expresso também minha saudação, meus cumprimentos, meus parabéns por haver sido escolhida pelos brasileiros para levar o Brasil à consolidação de seu prestígio no contexto das nações e, especialmente, para conduzi-lo ao desenvolvimento justo de todas as Regiões e Estados, sem privilégios ou discriminações.

            O Nordeste e o meu Estado deram expressiva vitória à Presidente Dilma Rousseff. Não vamos cobrar-lhe os votos, mas sempre lembrar que os votos certamente não foram aplausos e louvores, mas todos eles estiveram plenos de esperanças, esperanças as quais cada um dos nordestinos certamente não terão negadas.

            O Rio Grande do Norte sem dúvida está pronto para ser solidário com o Brasil e, portanto, solidário com o novo Governo Federal. E o Rio Grande do Norte, em igual medida, espera que o novo Governo da Presidente Dilma assuma compromisso ético e inafastável, no sentido de que o Brasil desenvolvido e justo...

(Interrupção do som.)

            A SRª ROSALBA CIARLINI (DEM - RN) - ... só será verdadeiramente o Brasil desenvolvido e justo se assim o for para cada um dos brasileiros.

            São estas as minhas expectativas, Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, quando venho ao Senado, não ainda para despedir-me, pois estou pronta a servir ao Senado até quando me permitir a Constituição, mas para compartilhar com Senadores e Senadoras a gratidão ao povo do Rio Grande do Norte pela confiança, e assegurar que a vitória é impulso e estímulo para ânimo redobrado, trabalho e dedicação ao meu Estado e ao Brasil.

            Muito obrigada, Sr. Presidente, Srªs Senadoras e Srs. Senadores.


Modelo1 7/21/241:39



Este texto não substitui o publicado no DSF de 12/11/2010 - Página 50211