Discurso durante a 195ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Registro da participação de S.Exa. em reunião de trabalho da bancada do Mato Grosso, juntamente com o governador do Estado, para tratar dos assuntos da Agecopa - Agência Executora das Obras da Copa do Mundo no Pantanal e das emendas parlamentares a serem incorporadas ao Orçamento Geral da União.

Autor
Serys Slhessarenko (PT - Partido dos Trabalhadores/MT)
Nome completo: Serys Marly Slhessarenko
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
ESPORTE. ORÇAMENTO. DESENVOLVIMENTO REGIONAL.:
  • Registro da participação de S.Exa. em reunião de trabalho da bancada do Mato Grosso, juntamente com o governador do Estado, para tratar dos assuntos da Agecopa - Agência Executora das Obras da Copa do Mundo no Pantanal e das emendas parlamentares a serem incorporadas ao Orçamento Geral da União.
Publicação
Publicação no DSF de 01/12/2010 - Página 54504
Assunto
Outros > ESPORTE. ORÇAMENTO. DESENVOLVIMENTO REGIONAL.
Indexação
  • REGISTRO, PARTICIPAÇÃO, REUNIÃO, BANCADA, ESTADO DE MATO GROSSO (MT), GOVERNADOR, DEBATE, AGENCIA, EXECUÇÃO, OBRAS, CAMPEONATO MUNDIAL, FUTEBOL, PANTANAL MATO-GROSSENSE, POSTERIORIDADE, DISCUSSÃO, CONGRESSISTA, REFERENCIA, EMENDA, ORÇAMENTO, ESPECIFICAÇÃO, DESTINAÇÃO, RECURSOS, CONSTRUÇÃO, HOSPITAL, ESCOLA PUBLICA, ESTADIO, ENTORNO, CENTRO DE TREINAMENTO, ATENDIMENTO, DEMANDA, TRANSPORTE COLETIVO, NECESSIDADE, ATENÇÃO, DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL, DESENVOLVIMENTO ECONOMICO, INCENTIVO, FORMAÇÃO PROFISSIONAL, OBJETIVO, RECEPÇÃO, ATLETA PROFISSIONAL, MUNDO, CONTRIBUIÇÃO, TURISMO, REGIÃO.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            A SRª SERYS SLHESSARENKO (Bloco/PT - MT. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão da oradora.) - Obrigada, Senador Alfredo Cotait, que preside esta sessão, Srs. Senadores, senhoras e senhores que nos vêem e nos ouvem.

            Na segunda-feira passada, há oito dias, ou seja, no dia 18 de novembro, a Bancada de Mato Grosso teve uma reunião com o Governador Silval Barbosa. Essa reunião foi para tratar de assuntos da Agecopa, que é toda a movimentação, toda a mobilização com vistas à Copa de 2014. Atendendo a uma solicitação do Governador Silval Barbosa, os diretores da Agecopa apresentaram todos os 28 projetos da Copa do Pantanal para a Bancada Federal.

            Eu diria que foi uma reunião bastante esclarecedora, muito importante, realmente, para que se ultimem todos os projetos com vistas à Copa de 2014; nós, em Mato Grosso, como subsede. Lá, o Presidente interino da agência, Sr. Yênes Magalhães, falou de toda a necessidade de aproximação da Bancada de Mato Grosso e da Agecopa e, principalmente, deu-nos grande esclarecimento, por parte da diretoria da agência, dos principais projetos que serão executados.

            Mas, em se tratando de uma reunião de trabalho, logo após a apresentação, o Governador reuniu-se com a bancada, com os Srs. Deputados e Srs. Senadores, para fechar as emendas parlamentares a serem incorporadas ao Orçamento Geral da União, dando, assim, a praticidade necessária para que pudéssemos desenvolver nossas ações aqui, no Congresso Nacional, visando o Orçamento Geral da União.

            Dos 28 Projetos, 6 foram apresentados de forma pormenorizada, sendo aqueles os quais o Governo do Estado assinou o termo de compromisso com o Governo Federal. São, entre outros, os projetos da Arena, nosso futuro estádio de futebol; o entorno dessa Arena, chamado Fan Park; centros de treinamentos; mobilidade urbana e aeroporto, sendo esse último de responsabilidade da União e que vem causando enorme expectativa.

            Evidentemente que nada será tão simples assim. Particularmente, aponto como a grande preocupação as desapropriações que precisarão ser feitas para a implantação do chamado Bus Rapid Transit (BRT) na área central de Cuiabá, fundamental para amenizar o caótico trânsito da nossa capital.

            Um fato importante é que os recursos para a execução dos projetos originais da Copa 2014 já estão assegurados e são assim distribuídos: R$1 bilhão do Governo do Estado para os quatro anos; R$440 milhões, que serão financiados pela Caixa Econômica Federal para o BRT e Avenida Mário Andreazza; R$342 milhões pelo BNDES para a Arena e R$140 milhões para o entorno da Arena, de 1,5 quilômetros, que é exigência da FIFA. Além disso, o governo de Mato Grosso quer garantir recursos para as obras complementares, e, para tanto, os Deputados e Senadores presentes na reunião se comprometeram em apresentar emendas que garantam verbas orçamentárias para essas obras, como de mobilidade urbana e, principalmente, para as desapropriações.

            Nesse sentido, a Bancada Federal apontou ao Governador Silval Barbosa aquelas principais obras para aporte de recursos oriundos de emendas, como para o Hospital Universitário Julio Muller, para a construção de pontes, programa de integração de cidades, para as obras e projetos da Agecopa, notadamente as rodovias afetas ao Dnit, recursos para a solução de água e esgoto da paradisíaca Chapada dos Guimarães, recursos para o deslocamento e construção de um novo parque de exposição agropecuária, recursos para a agricultura familiar, para irrigação, para inclusão digital e para a MT-100.

            A verdade, senhores e senhoras, é que agora estaremos correndo contra o tempo, no grande sonho de realizarmos a melhor festa da Copa 2014, num trabalho que envolverá muita dedicação de todos. Para se ter uma ideia, somente para implantar o BRT na região central de Cuiabá, na Avenida da Prainha, no trecho compreendido entre Avenida Mato Grosso e a Praça Maria Taquara, teremos que efetuar desapropriações ao longo dessa extensão, para alargar os 18 metros de todo o trecho.

            Isso será absolutamente necessário, já que a Avenida da Prainha está com sua capacidade defasada - foi construída há mais de 30 anos - e não suporta sequer o peso dos ônibus articulados BRT, cujo peso é, em média, de 35 toneladas.

            Para suportar o peso do BRT, será necessária, além das desapropriações, a execução de uma obra chamada “envelopamento”, que é o termo técnico da pista - exatamente para que a nova avenida possa suportar o peso dos novos ônibus -, sendo que, ao mesmo tempo, serão construídos emissários de esgoto de 2.800 metros de extensão até a Estação de Tratamento de Esgoto do Bairro Dom Aquino.

            São trabalhos gigantescos e que exigirão muitos recursos e criatividade técnica. A complexidade e o desafio de se fazer a Copa do Pantanal exigirá uma estratégia inovadora.

            Vejam que essas desapropriações nem estavam previstas no projeto original, e nós da bancada de Deputados e Senadores as apontamos e enxergamos a necessidade de viabilizar recursos para sua efetivação.

            Outra prioridade é a construção do hospital universitário - o Júlio Muller é o atual hospital universitário -, o novo hospital universitário que vai exigir investimento da ordem de R$150 milhões, sendo que já estão assegurados R$80 milhões dos Ministérios da Saúde e da Educação. Parte desses recursos será garantida através de emenda parlamentar da bancada federal.

            Em resumo, a reunião da segunda-feira passada foi muito importante para o Mato Grosso e para Brasil também. A partir dela, estamos fazendo emendas para a mobilidade urbana, para a tecnologia da informação na Baixada Cuiabana e em cidades do interior de Mato Grosso, como Santo Antônio do Leverger, Nobres, Várzea Grande, Chapada, Rosário, enfim, principalmente os Municípios do Vale do Rio Cuiabá, com o objetivo de formar cidades tecnológicas. Também esses recursos serão divididos em inclusão digital, desenvolvimento do turismo, infraestrutura, água e esgoto, além da instalação de 11 novas Varas do Trabalho, distribuídas em Municípios do interior com recursos também da bancada federal.

            Diante desses desafios, estou convencida de que tudo aquilo que for conquistado para a Copa do Pantanal deverá ser sustentável, sempre com o objetivo de que possamos fazer aproveitamentos racionais durante todo o evento e, o mais importante, depois desse período principalmente, para que o que venha depois, o outro dia, seja realmente de muito valor para nossa capital, para nosso Estado de Mato Grosso.

            No entanto, os legados mais permanentes que esperamos nesses eventos para o Brasil e para o Mato Grosso deverão ser bem mais do que apenas físicos; deverão ser também de desenvolvimento econômico, social e principalmente humano, no sentido de que as pessoas tenham acesso à capacitação intelectual, com o aprendizado de novos idiomas, com capacitação diferenciada de mão de obra. Esses ganhos são tangíveis, são os mais importantes, os mais valorosos para o nosso País.

            Quando digo que precisaremos ser criativos, faço referência, por exemplo, a que serão necessárias ações práticas, como a capacitação de mão de obra pelo Sebrae, cursos de línguas aos voluntários, aos nossos taxistas, formação de novos chefes de cozinha, garçons, atendentes em hotelaria, engajamento de voluntários e outras medidas imprescindíveis, para que nosso Estado entre para o circuito internacional de eventos.

            Nesse particular, quero parabenizar a brilhante ação da minha amiga Wilza Sodré, Presidente da Associação das Domésticas de Mato Grosso, que está na vanguarda desses trabalhos e que, nos últimos anos, tem se dedicado a oferecer cursos de capacitação tanto às empregadas domésticas quanto a outros trabalhadores e trabalhadoras: cursos de inglês, etiqueta, atendimento ao cliente, hotelaria e outros, numa demonstração inequívoca de engajamento da sociedade civil. Parabéns, minha amiga querida Wilza Sodré!

            O certo é que, assim como Wilza, estamos todos muito animados, já que a expectativa é a de que a Copa de 2014 trará uma nova realidade para Mato Grosso e para o Brasil. E afirmo que trará uma nova realidade porque, além da festa do futebol, a Copa de 2014, certamente, ampliará a visitação internacional a Cuiabá e ao restante do meu Mato Grosso, mas principalmente a Cuiabá, como portal da Amazônia e do Pantanal - um dos mais extraordinários patrimônios da Humanidade, o Mar de Xaraés, a maior planície inundável do mundo, com fauna e flora exuberantes, tradições culturais de características ímpares e uma população acolhedora e de uma simpatia sem igual.

            A partir de Cuiabá, os visitantes, certamente, se espalharão por toda a região pantaneira, constatando os fenômenos que ali têm sido plantados pelo trabalho e pela criatividade da população mato-grossense.

            A Copa de 2014 mostrará ao mundo, também, as exuberantes belezas da Chapada dos Guimarães, do rio Cuiabá, da nossa Nobres, de nosso Poconé, da festeira cidade de Santo Antonio de Leverger, que serve de palco para um dos carnavais regionais mais animados e descontraídos de todo o País; mostrará Rondonópolis, com seu sítio arqueológico Cidade de Pedra; mostrará as modernas cidades de Sorriso, Sinop, Querência, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Alta Floresta, com o seu observatório de pássaros, o Cristalino, e tantas e tantas cidades que se transformaram, aos olhos do mundo, em centros de excelência na produção de soja, de algodão, concentrando o maior rebanho bovino do Planeta e merecendo destaque pelo acolhimento de migrações que vieram não só de todas as regiões do Brasil, mas também de diversas partes do mundo, formando um contingente populacional que, como em poucas regiões do Planeta, tem, hoje, a marca consagradora da grande - não é somente diversidade -, da grande diversidade.

            Por tudo isso, eu repito sempre: tenho muita alegria e muito orgulho de representar o povo de Cuiabá e o povo de Mato Grosso no Senado da República.

            Finalizo, senhoras e senhores, dizendo que voltei dessa reunião, lá em Cuiabá, com o Governador e todos os membros da Agecopa, muito mais confiante de que Mato Grosso - que, hoje, se destaca economicamente pelo alto padrão de desenvolvimento alcançado a partir do trabalho dos mato-grossenses, das pessoas, de um modo geral que para ali foram oriundas dos mais diversos lugares do Brasil e que no nosso Estado vivem - fará muito bonito em 2014, muito bonito mesmo.

            Vamos mostrar Mato Grosso como um Estado com grande desenvolvimento econômico, mas com sustentabilidade ambiental, e, muito mais do que os aspectos físicos que já coloquei aqui, com uma hospitalidade ímpar por parte de seu povo, com certeza.

            Muito obrigada, Presidente.

            Restringi-me no uso do tempo, porque sei que o Senador Flexa Ribeiro está ansioso para falar.

            Muito obrigada, Senador Alfredo Cotait.


Modelo1 3/2/249:37



Este texto não substitui o publicado no DSF de 01/12/2010 - Página 54504