Discurso durante a 203ª Sessão Deliberativa Ordinária, no Senado Federal

Apoio à composição ministerial da presidente eleita, Dilma Rousseff, elogiando a escolha de Alfredo Nascimento para a Pasta dos Transportes. (como Líder)

Autor
César Borges (PR - Partido Liberal/BA)
Nome completo: César Augusto Rabello Borges
Casa
Senado Federal
Tipo
Discurso
Resumo por assunto
GOVERNO FEDERAL, ATUAÇÃO.:
  • Apoio à composição ministerial da presidente eleita, Dilma Rousseff, elogiando a escolha de Alfredo Nascimento para a Pasta dos Transportes. (como Líder)
Publicação
Publicação no DSF de 10/12/2010 - Página 57943
Assunto
Outros > GOVERNO FEDERAL, ATUAÇÃO.
Indexação
  • JUSTIFICAÇÃO, CRITERIOS, POLITICA PARTIDARIA, COMPOSIÇÃO, MINISTERIO, DEMONSTRAÇÃO, APROXIMAÇÃO, SISTEMA DE GOVERNO, PARLAMENTARISMO, CONFIANÇA, POLITICO, EXERCICIO, CARGO PUBLICO, MINISTRO DE ESTADO, RECEBIMENTO, ASSESSORAMENTO TECNICO, DISCORDANCIA, CRITICA, DESTINATARIO, CANDIDATO ELEITO, PRESIDENTE DA REPUBLICA, ESPECIFICAÇÃO, SAUDAÇÃO, ESCOLHA, ALFREDO NASCIMENTO, SENADOR, ESTADO DO AMAZONAS (AM), TITULAR, MINISTERIO DOS TRANSPORTES (MTR), QUALIDADE, PRESIDENTE, PARTIDO POLITICO, PARTIDO REPUBLICANO (PRE), ELOGIO, GESTÃO, EX MINISTRO DE ESTADO, FAVORECIMENTO, TRANSPORTE RODOVIARIO, ESTADO DA BAHIA (BA), EXPECTATIVA, IMPLEMENTAÇÃO, FERROVIA.

                          SENADO FEDERAL SF -

            SECRETARIA-GERAL DA MESA

            SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


            O SR. CÉSAR BORGES (Bloco/PR - BA. Pela Liderança. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, nobre Senador Adelmir Santana, nobres Senadores, o País vive na expectativa de um novo governo a partir de 1º de janeiro de 2011, governo que foi eleito democraticamente pela maioria dos votos da população, dos eleitores brasileiros.

            A eleição da Presidente Dilma Rousseff se deu numa disputa democrática em que os partidos organizados do nosso País posicionaram-se, inclusive numa eleição que foi ao segundo turno, e todos os candidatos se compunham em alianças, em coligações. A coligação vitoriosa foi a da Presidente eleita, Dilma Rousseff, e se deu num conjunto de partidos.

            Então, Sr. Presidente, nada mais correto, mais justo - e nós vivermos numa democracia, num regime é presidencialista - que nós nos aproximemos um pouco do sistema parlamentarista, em que normalmente os Ministros são indicados pelos partidos. São os políticos que exercem os diversos Ministérios; é o Parlamento que forma o governo. Técnico é técnico, está ali para assessorar, para dar informações, mas a decisão, essencialmente, em qualquer governo, é uma decisão política. Então, não vejo absolutamente nada de mais - até porque eu faço parte da classe política, Senador Gilvam - que a escolha se dê prestigiando os partidos políticos que compuseram a aliança vitoriosa. E eu confio nos políticos, não poderia ser de outra forma.

            Eu acho uma distorção e um desserviço à democracia quando se critica a escolha de políticos para compor um Ministério. O político, necessariamente, tem que ser um homem de ampla visão e conhecimento, que possa desempenhar qualquer função dentro do Executivo. Não é porque eu sou engenheiro que só posso desempenhar funções de engenharia; não é porque eu sou médico que só posso desempenhar funções ligadas ao setor médico. No momento em que eu sou político, preciso ter uma visão global, universal da máquina pública.

            Então, eu quero aqui, data venia, discordar daqueles que vêm criticar um Ministério, que está em formação, onde se prestigia a classe política e os partidos políticos.

            Daí porque, Sr. Presidente, venho a esta tribuna, hoje, para parabenizar a Presidente Dilma pela escolha do Ministro dos Transportes, na figura do nosso colega, político, Senador, ex-Prefeito de Manaus, candidato a Governador do Amazonas, Alfredo Nascimento, que foi escolhido - e confirmado ontem - para assumir a Pasta dos Transportes.

            E não apenas está ali o Ministro Alfredo Nascimento como Presidente que é, hoje, do PR, Senador da República, eleito pelo Estado do Amazonas, político competente que é, mas também está um ex-Ministro dos Transportes do Governo Lula, que mostrou competência à frente do Ministério, recuperando a grande malha rodoviária federal brasileira.

            Eu cito o exemplo da Bahia. Eu fui para o PR exatamente pelas mãos de Alfredo Nascimento e tive oportunidade, junto com a bancada de Deputados Federais do PR do Estado da Bahia, e, graças à responsabilidade e generosidade do Governo Federal com o nosso Estado e do Ministro Alfredo Nascimento, de recebermos dotações de mais de R$3,6 milhões para recuperar os 3,5 mil quilômetros de estradas no Estado da Bahia, de processos de êxito, como, por exemplo, a concessão das BRs 116 e 324, que está em curso - e as melhorias já estão sendo vistas -, tanto que, dentro em breve, teremos funcionamento a contento dessa rodovia importantíssima que é a BR-116 na Bahia.

            E, amanhã, o Presidente Lula estará na Bahia dando ordem de serviço para o início de uma obra importantíssima para o meu Estado e para a o Brasil, uma obra estruturante, a chamada FIOL - Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que vai rasgar todo o Estado da Bahia, do Oceano Atlântico até o interior do País, ligando o Porto Sul, que será construído no Estado da Bahia, até a cidade de Figueirópolis, no entroncamento da Norte-Sul.

            Então, Sr. Presidente - e V. Exª já assinalou que usei o meu tempo -, eu queria aqui, pela Liderança do PR, saudar a indicação, mais uma vez, do competente Senador...

(Interrupção do som.)

            O SR. CÉSAR BORGES (Bloco/PR - BA. Intervenção fora do microfone.) - (...) e político amazonense, Alfredo Nascimento, para dirigir as ações do futuro Governo da Presidente Dilma com relação a essa área tão importante da infraestrutura do nosso País, em especial a infraestrutura ligada ao setor rodoviário e ao setor ferroviário.

            Muito obrigado, Sr. Presidente.


Modelo1 1/29/237:55



Este texto não substitui o publicado no DSF de 10/12/2010 - Página 57943