Autor
Júlio Campos (PFL - Partido da Frente Liberal/MT)
Data
18/04/1996
Casa
Senado Federal 
Tipo
Pronunciamento 

O SR. JÚLIO CAMPOS (PFL-MT. Para uma comunicação inadiável. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, foi publicado no Diário de Cuiabá a seguinte matéria:

      "Rondonópolis virou, segunda-feira última, uma das mais importantes páginas de sua história política, quando, às 7h30min, deixou de bater o coração de Daniel Martins de Moura, o primeiro prefeito eleito daquele município.

      Vencido pelo tempo, aos 90 anos, lúcido, mas debilitado, partiu Daniel Moura, deixando um legado que deve servir de norte para a classe política rondonopolitana.

      Despojado de vaidades pessoais, o ex-prefeito partiu pobre de bens materiais e se mantinha com uma modesta pensão. Sua passagem pela vida pública foi marcada pela honestidade e probidade, predicados hoje raros nos integrantes dos meios políticos.

      Daniel Moura fez o planejamento urbano da área central de Rondonópolis, sem, no entanto, se beneficiar de terrenos públicos, preferindo doá-los aos pioneiros que se aventuravam pelo Vale do Rio Vermelho.

      Todos os prefeitos que o sucederam o ouviam sempre que tinham que tomar grandes decisões. Daniel Moura tornou-se um símbolo para a classe política rondonopolitana. Sua palavra tinha peso e era acatada porque representava um ponto de equilíbrio e de serenidade.

      A partida de Daniel Moura deixa um vazio muito grande em Rondonópolis. Na hora em que aquela cidade mais precisava de seu conselheiro e ex-prefeito para enfrentar o turbilhão político que a espera com as eleições municipais de outubro, ela perde seu principal referencial.

      É lamentável sob todos os aspectos quando a sociedade perde um líder regional do porte de Daniel Moura."

Homem fundador do extinto Partido Social Democrático - PSD, ao lado de Filinto Müller, de Ponce de Arruda, de Manoel Pinheiro, de Lutero Lopes, de Zanete Cardinal, de Afro Stefanini e de tantos líderes políticos, pontificou Daniel Moura como um dos baluartes da política mato-grossense. Posteriormente, filiou-se à antiga Aliança Renovadora Nacional, da qual V. Exª foi Presidente. Daniel Moura deixou-nos legado na sua filiação ao Partido Liberal-PL, onde pontificava como um dos seus maiores líderes.

      "E essa perda se torna ainda mais sentida quando se sabe que esses vazios não conseguem ser preenchidos pelos políticos que estão surgindo para a vida pública.

      Parte o velho Daniel Moura e ficam seus exemplos. Rondonópolis com isso torna-se triste, mas não perde o encanto e o senso de desenvolvimento que ganhou no passado com seus primeiros habitantes, como o filho adotivo que acaba de perder.

      Um vulto como Daniel Moura não morre jamais. Os que ficam perdem seu convívio mas podem desfrutar de seus exemplos. E Rondonópolis por certo saberá viver essa nova etapa de sua vida política trilhando os ensinamentos de seu primeiro prefeito eleito - homem de fibra e de valor.

      A morte é muito frágil para levar alguém como Daniel Moura. Ela só mata aqueles que não ficam nos seus exemplos."

Por isso afirmo da tribuna do Senado que Daniel Moura viverá sempre no coração do povo de Rondonópolis e de Mato Grosso.

<