Autor
Eduardo Suplicy (PT - Partido dos Trabalhadores/SP)
Data
01/12/1998
Casa
Senado Federal 
Tipo
Para discursar 

O SR. EDUARDO SUPLICY (Bloco/PT-SP. Para uma declaração de voto. Sem revisão do orador.) - Em memória do professor Maurício Tragtemberg.

Autor de reflexões inovadoras no campo das Ciências Humanas, Tragtemberg tornou-se um formador de opinião de gerações de educadores e pesquisadores durante pelo menos quatro décadas.

Por onde quer que tenha passado, seja na Universidade de São Paulo, na Pontifícia Universidade Católica, na Faculdade de Educação da Unicamp (da qual foi um dos fundadores) ou na Fundação Getúlio Vargas, na Escola de Administração de Empresas de São Paulo, onde foi meu colega como professor, Maurício Tragtemberg influenciou os jovens, inclusive os que aspiravam ser empresários, mudando a sua acerca da relação que deveriam estabelecer com os trabalhadores. Em sua tese de livre docência, intitulada Administração, Poder e Ideologia, desenvolveu uma análise crítica das concepções de gestão empresarial vigentes na década de 70 e início da de 80, desvendando no discurso administrativo o conteúdo ideológico que marcou a ofensiva neoliberal sobre as políticas públicas, transformando-as em políticas de exclusão social crescente.

Completou sua formação como autodidata marcado por um pensamento vigorosamente autônomo, ousado e até irreverente, sem jamais perder o rigor. Quando jovem, estudava diariamente na biblioteca Mario de Andrade, em São Paulo, onde conheceu diversos intelectuais, entre eles o professor Florestan Fernandes. Atualmente lecionava no Departamento de Ciências Sociais da PUC de São Paulo.

Lutou com veemência contra sua doença. Já havia até definido os temas das aulas para o próximo semestre. Sem dúvida nenhuma, Maurício Tragtemberg pode ser considerado um dos mais importantes intelectuais brasileiros da segunda metade do século, e sua morte, ocorrida no último dia 17 de novembro, após sofrer parada cardiorespiratória, na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, deixará uma lacuna difícil de ser preenchida.

À Srª Beatriz Tragtemberg, sua viúva, aos seus filhos e a toda a comunidade de professores e alunos das instituições por onde ele passou, a todos aqueles a quem ele ajudou a ter as suas consciências despertadas, o nosso sentimento de pesar.