Autor
Carlos Wilson (PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira/PE)
Data
16/04/1999
Casa
Senado Federal 
Tipo
Pronunciamento 

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, o Senado, há pouco mais de 15 dias, teve a oportunidade de homenagear o Arcebispo Dom Hélder Câmara. Infelizmente, eu não estava em Brasília no dia dessa homenagem, mas, como pernambucano e Senador da República do meu Estado, não poderia deixar também de me manifestar por ocasião das homenagens prestadas a Dom Hélder Câmara, o nosso queridíssimo Arcebispo Emérito de Olinda e Recife, pela passagem do seu 90º aniversário.  

Não há a menor necessidade de que eu repita para este Plenário tudo aquilo que se conhece e se disse sobre esse homem invulgar, esse sacerdote pleno da força mística da fé e da coragem dos desassombrados. São mais de 70 anos dedicados à missão de resgatar a dignidade dos pobres e oprimidos do Brasil, em especial no Nordeste. São mais de 70 anos despertando as elites intelectuais, incomodando os poderosos, amparando os humildes, fortalecendo os fracos e enaltecendo os desfavorecidos.  

Sua luta tem sido impulsionada pela força da fé, pela irresistível força da não-violência. Agindo e pregando, Dom Hélder, com seu corpo franzino, com sua voz mansa e seus gestos suaves, tornou-se uma fortaleza em defesa da justiça social e da valorização do homem brasileiro. Sua capacidade agregadora em benefício dos mais pobres se manifesta em todas as esferas de sua atuação. Como idealizador da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a hoje respeitada CNBB, viu em sua criação a unidade da Igreja Católica, que precisava ter um Brasil solidário e justo.  

Na fundação da Conferência Episcopal Latino-americana - CELAM, buscou ampliar essa visão unitária a toda América Latina. Era o pequeno gigante unificando seu exército para combater o bom combate.  

Sua ação apostólica e social no Ceará, onde começou sua vida sacerdotal, no Rio de Janeiro e em Pernambuco, meu Estado, deixam marcas definitivas na vida dessas populações. A Feira da Providência é até hoje, 30 anos depois de sua criação, um dos mais importantes eventos em favor dos pobres do Rio de Janeiro.  

Recolhido em sua residência modesta e simples no Recife, Dom Hélder continua sendo uma referência para todos que lutam pela justiça entre os homens. Nesse sentido, pergunto-me o que estará pensando Dom Hélder sobre as notícias aterradoras de trabalho escravo nas fazendas do sul do Pará e nos engenhos do Nordeste. Qualquer outro, mais fraco, já teria perdido a esperança no Brasil, ao ver se repetirem essas barbaridades, mas não Dom Hélder! Sua pregação pelo fim da opressão, pela justa distribuição de terras no Brasil, pela melhoria das condições de vida dos brasileiros mais humildes continua a ecoar em todos os rincões de nosso País e a repercutir em todo o mundo.  

Dom Hélder é um dos brasileiros mais respeitados fora do Brasil. Seus inúmeros textos são traduzidos nas mais diferentes línguas - do inglês ao coreano, do norueguês ao chinês, do francês ao japonês. Lutador incansável, Dom Hélder precedeu, e quem sabe inspirou o nosso saudoso Betinho, em sua luta pela erradicação da fome e da miséria no Brasil.  

O Sr. Romero Jucá (PSDB-RR) - Permite-me V. Exª me um aparte?  

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE) - Com muito prazer, concedo o aparte ao Senador Romero Jucá.  

O Sr. Romero Jucá (PSDB-RR) - Senador Carlos Wilson, V. Exª traz novamente a esta Casa o tema Dom Hélder, já homenageado por esta Casa pelos seus 90 anos. V. Exª traz seu exemplo de dedicação, coragem, humildade e sua vida, que servem como parâmetros de como se deve encarar o amor ao próximo e a luta pelos mais humildes. Quero associar-me às homenagens a Dom Hélder que V. Exª faz em seu discurso, porque toda e qualquer homenagem a ele é pouca, pelo exemplo que dá em nosso País e particularmente em nosso Estado de Pernambuco, onde ele dedicou grande parte de sua vida. Falar de Dom Hélder nesta Casa num momento tão difícil para o País, em dificuldades sociais, e para o mundo, com guerras como a de Kosovo, nos Bálcãs, sem dúvida nenhuma é um alento e uma esperança para nossos corações nesta manhã. Meus parabéns pela homenagem sincera e importante à figura humana e ao homem público - pode-se dizer assim -, porque na verdade Dom Hélder é patrimônio de todos nós. Meus parabéns.  

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE) - Agradeço ao Senador Romero Jucá, que teve também uma participação em Pernambuco em sua trajetória de vida e pôde acompanhar a luta de Dom Hélder nos momentos mais difíceis, em que a opressão, a ditadura olhava para ele sempre com muita desconfiança. E Dom Hélder nunca se atemorizou, muito pelo contrário: quanto maior fosse a adversidade, maior era sua luta, maior era sua grandeza. Então, esse aparte do Senador Romero Jucá é de quem testemunhou um período também muito rico da vida de Dom Hélder Câmara.  

O Sr. Gilvam Borges (PMDB-AP) - Nobre Senador, assim que houver oportunidade, e se ainda dispuser de tempo, V. Exª me concede um aparte? Se não puder, posso declinar.  

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE) - Concedo, com muito prazer, o aparte ao Senador Gilvam Borges.  

O Sr. Gilvam Borges (PMDB-AP) - É oportuno o discurso de V. Exª, que vem à tribuna não só para louvar, mas para fazer justiça a um homem que tem uma história de luta. Dom Hélder é o modelo, é um exemplo não só na área sacerdotal, por sua vocação espiritual à causa maior do Arquiteto do Universo, mas na área política. Portanto, nobre Senador, V. Exª está de parabéns pelo brilhantismo e sabedoria que lhe são peculiares. Falo aqui neste aparte também em nome do Senador Jader Barbalho, que teve de se ausentar deste plenário por outros compromissos e me pediu que me associasse às suas palavras e me congratulasse com V. Exª pela justa homenagem a Dom Hélder, não só um grande líder espiritual, mas um grande líder político e humanitário. Parabéns, Senador. V. Exª merece.  

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE) - Muito obrigado, Senador Gilvam Borges. O aparte de V. Exª, com a solidariedade e o apoio do Senador Jader Barbalho, engrandece em muito o nosso discurso de homenagem a Dom Hélder Câmara.  

A Srª Heloisa Helena (Bloco/PT-AL) - Permite V. Exª um aparte?  

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE) - Concedo, com muita honra, o aparte à Senadora Heloisa Helena.  

A Srª Heloisa Helena (Bloco/PT-AL) - Senador Carlos Wilson, já foram feitas muitas homenagens a Dom Hélder nesta Casa. Fico feliz com a homenagem que V. Exª faz, pois existem determinadas pessoas tão importantes para a humanidade, tão importantes para a vida de cada um de nós que não merecem ser homenageadas apenas em momentos específicos. V. Exª dizia que não teve a oportunidade de estar presente no dia da homenagem a Dom Hélder, mas talvez tenha sido até mais importante fazê-la hoje, porque faz-nos relembrar os ideais de solidariedade, fraternidade e justiça social. Relembra-nos aquele magrinho, tão pequeno, mas um gigante de dignidade, que, sem dúvida alguma, iluminou e inspirou os corações de todos que lutam por justiça social no Nordeste e no Brasil. Portanto, de forma feliz, solidarizo-me com o pronunciamento de V. Exª.  

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE) - Muito obrigado, Senadora Heloisa Helena. O aparte de V. Exª engrandece o nosso discurso, pois sabemos de sua luta e do acompanhamento que V. Exª tem da luta de Dom Hélder em seu dia-a-dia, V. Exª que é do Estado de Alagoas, nosso vizinho.  

Há pouco eu lembrava ao Presidente Ademir Andrade, representante do Pará, que hoje ou amanhã faz um ano que ocorreu um dos episódios mais tristes e lamentáveis do País: o massacre de Eldorado dos Carajás. Dom Hélder, que dedicou toda sua vida em defesa dos oprimidos, deve ter ficado muito triste por esse fato. São exemplos como esse que Dom Hélder sempre combateu. Se a filosofia, se a luta de Dom Hélder tivesse sido respeitada durante esses anos, com certeza não aconteceriam mais essas injustiças e esses massacres em nosso País. No momento em que se homenageia Dom Hélder, devemos refletir em episódios lamentáveis como esse de Eldorado dos Carajás.  

Continuando meu discurso, Srªs e Srs. Senadores, Dom Hélder tem sido, ao longo de sua vida, agraciado com incontáveis prêmios, honrarias, títulos e tudo quanto a vaidade humana pode almejar. Nem por isso ele se afastou um milímetro sequer do caminho que traçou para sua vida sacerdotal. Convivendo com os poderosos do mundo todo, soube preservar sua simplicidade e seu compromisso com os mais simples.  

A força do seu caráter, a solidez de sua fé, a firmeza de sua ação são paradigmas que devem guiar todo brasileiro responsável. O exemplo de compromisso que Dom Hélder nos transmite por meio de sua história é algo que não pode ser esquecido nem minimizado. Atuando junto às elites ou junto aos pequenos, ele tem sido a semente de uma revolução que ainda está para ocorrer neste País: a revolução da solidariedade entre as pessoas, a revolução da paz e da justiça para todos, a revolução da dignificação de todos que habitam esta Terra de Santa Cruz.  

Sei que já foi dito de Dom Hélder Câmara que ele merece receber o Prêmio Nobel da Paz. Sou mais um a dizê-lo. Ele o merece, não pela honraria em si, mas pelo exemplo que nos dá de amor ao Brasil, aos brasileiros e a todos os seres humanos. O mundo reverencia os laureados com os prêmios Nobel da Paz. Nós, brasileiros, mais do que reverenciar Dom Hélder, devemos seguir-lhe o exemplo.  

A profícua vida de Dom Hélder Câmara ainda haverá de ser coroada com a vitória suprema de ver que o Brasil deixou de ser o país dos privilégios e das desigualdades e tornou-se a terra da fraternidade e da igualdade de oportunidades para todos.  

O Sr. Tião Viana (Bloco/PT-AC) - Permite-me V. Exª um aparte?  

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-CE) - Concedo o aparte, com muito prazer, ao Senador Tião Viana.  

O Sr. Tião Viana (Bloco/PT-AC) - Gostaria apenas de manifestar a minha integral solidariedade ao eminente Senador Carlos Wilson quando aborda assunto que representa o sentimento do Brasil e quando se refere a Dom Hélder, que sempre deve merecer homenagens de todos os cidadãos deste País. Dom Hélder, vivendo no meio de tanto sofrimento humano, de tanta miséria e de tanta injustiça, ainda conseguia cantar, fazer poesia e, pregando o amor ao próximo e a fraternidade, fazer aflorar nas pessoas o sentimento de esperança como algo forte e importante. A figura evangelizadora de Dom Hélder deveria estar sempre na memória do povo brasileiro e dos políticos brasileiros, porque assim teríamos um Congresso Nacional mais verdadeiro, mais legítimo, mais justo e mais solidário. Considero possível compatibilizar a firmeza de posições com atos de solidariedade, caráter e responsabilidade necessários para sermos um País mais justo. Dom Hélder é uma fonte de estímulo e de inspiração para esse tipo de prática política. Por essas razões, penso ser o pronunciamento de V. Exª - figura que representa o sentimento do povo do Nordeste brasileiro - profundamente justo e necessário. Muito obrigado.

 

O SR. CARLOS WILSON (PSDB-PE) - Muito obrigado, Senador Tião Viana.  

Concluo meu discurso, Sr. Presidente, com o aparte do Senador Tião Viana e dizendo da minha satisfação de estar hoje nesta tribuna do Senado homenageando uma das maiores figuras do nosso País.  

Muito obrigado.  

 

¿

<