Autor
Heráclito Fortes (DEM - Democratas/PI)
Data
12/11/2008
Casa
Senado Federal 
Tipo
Para discursar 

  SENADO FEDERAL SF -

SECRETARIA-GERAL DA MESA

SUBSECRETARIA DE TAQUIGRAFIA 


O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, venho à tribuna nesta tarde para fazer agradecimentos, mas, antes, Sr. Presidente, para mostrar a V. Exª e à Casa que estou completamente recuperado.

Quero fazer uma sugestão a V. Exª e chamo a atenção do Senador Arthur Virgílio para o que proponho.

V. Exª encantou o Brasil nas oportunidades que teve de, publicamente, criticar o abuso de medidas provisórias editadas pelo Governo Federal. Na última delas, num momento histórico no Palácio do Planalto, quando se comemoravam os vinte anos da promulgação da Constituição, V. Exª, de maneira corajosa embora humilde, chamou a atenção para esse fato.

         Senador Valdir Raupp e Senador Arthur Virgílio, é chegado o momento do seu discurso se transformar em ação. Nada mais, Senador Presidente, lógico e oportuno do que esta Casa, por seu intermédio, devolver ao Governo Federal a Medida Provisória nº 446. Essa medida, além de inoportuna, Senador Arthur Virgílio, é um desrespeito ao Senado da República e ao Parlamento brasileiro, porque ela vem no exato momento em que funciona nesta Casa uma CPI destinada a investigar irregularidades exatamente nessa área. O que se vê, Senador Valdir Raupp, é uma medida provisória que protege, que anistia aquelas que cometeram irregularidades, que lhes deixam sob o manto da impunidade, não sendo, Sr. Presidente, de maneira nenhuma, compatível com o discurso que V. Exª prega nesta Casa. Daí por que, Senador Garibaldi Alves, faço um apelo a V. Exª como Presidente do Congresso: reflita sobre a 446, devolva ao Governo Federal, porque, nos moldes em que ela está e chegou a esta Casa, nada mais, nada menos é do que mais um atentado à democracia e a esta Casa, que V. Exª tão bem preside.

Dito isso, Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, venho a esta tribuna para agradecer as manifestações de carinho e solidariedade que recebi durante o período em que me encontrei internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Saí de Brasília com o objetivo de um exame de rotina, um check-up que faço todos os anos.

O Sr. Arthur Virgílio (PSDB - AM) - Senador Heráclito Fortes, permite-me?

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Pois, não. V. Exª tem a palavra.

O Sr. Arthur Virgílio (PSDB - AM) - Antes de mais nada, Senador, quero dizer da minha alegria e da de minha família com o seu retorno. V. Exª se recuperou antes do tempo e muito bem. E, hoje, a alegria que tive foi voltar a ouvir o seu vozeirão com o mesmo vigor, com a mesma indignação, com a mesma capacidade de manifestar sua posição em qualquer circunstância. V. Exª, com essa recuperação, é o exemplo claro de que o ditado popular tem que ser readaptado: Vaso bom não quebra.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Muito obrigado a V. Exª, e concedo um aparte ao Senador João Tenório.

O Sr. João Tenório (PSDB - AL) - Senador Heráclito, faço das palavras do Senador Arthur Virgílio as minhas, é uma satisfação muito grande tê-lo aqui, firme e forte, e com um terno mais bonito, eu diria assim, o que torna mais alegre ainda o seu retorno à Casa. Muito obrigado.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço ao Senador João Tenório e concedo um aparte ao Senador Efraim Morais.

O Sr. Efraim Morais (DEM - PB) - Senador Heráclito Fortes, foi um susto, só um susto, graças a Deus. Mas V. Exª está de volta entre nós e, com certeza, continuará mais forte o Heráclito Fortes. Então, estamos todos felizes pelo retorno de V. Exª, e, graças a Deus, com muita saúde, para continuar o seu trabalho em defesa do seu Piauí e do nosso Brasil. Seja bem-vindo! Na volta, já dizia José Américo de Almeida, na volta, no caminho da volta ninguém se perde.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Muito obrigado, agradeço a V. Exª as palavras e manifestações de carinho.

         Mas, Sr. Presidente, como eu dizia, eu entrei no Sírio Libanês para um exame de rotina... 

O Sr. Eduardo Azeredo (PSDB - MG) - Senador, antes de V. Exª continuar.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Senador Eduardo Azeredo.

O Sr. Eduardo Azeredo (PSDB - MG) - Quero só manifestar nossa satisfação em reencontrá-lo. Estava fazendo falta aqui, sim, a sua verve, o seu humor fino. Estava fazendo falta neste plenário. Seja muito bem-vindo.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço a V. Exª. E, de repente,...

O Sr. Mão Santa (PMDB - PI) - Senador Heráclito!

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Senador Mão Santa, com o maior prazer. 

O Sr. Mão Santa (PMDB - PI) - Olha, eu quero lhe oferecer a frase de Gonçalves Dias: “A vida é combate, que os fracos abate, que os fortes (Heráclito Fortes), os bravos, só pode exaltar.” Eu acho que ele se inspirou em Heráclito Fortes, esse forte. V. Exª ontem estava com muito estoicismo, defendendo os interesses dos prefeitos do Piauí, quando a nossa Bancada nos reunia. V. Exª hoje presidia, para orgulho deste Congresso e do Piauí, uma homenagem que foi feita ao 60º aniversário da Sociedade de Cirurgia Plástica. V. Exª é aquele forte e bravo que Gonçalves Dias cantava.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Obrigado, Senador Mão Santa. Mas eu, como dizia, entrei num exame de rotina, coisa que faço anualmente, e, de repente, fui surpreendido pela recomendação do médico de que houvesse um aprofundamento porque estava com um problema localizado exatamente no rim esquerdo. A recomendação foi cirúrgica.

Senador Augusto Botelho, sabe V. Exª, como médico, melhor do que eu, um leigo na matéria, o pânico que pode tomar conta de alguém que, de surpresa, recebe um veredicto daquela natureza. A primeira preocupação que tive, principalmente com os meus amigos, mas também com a opinião pública, foi de não esconder a verdade. Sei que, para muitos, não é o melhor caminho, não é o mais cômodo dos caminhos, mas eu não tinha o direito, como homem público e como cidadão, de faltar com a inteireza dos fatos. Daí por que pedi aos meus amigos e à minha assessoria, principalmente, que informassem exatamente o que tinha acontecido.

Eu estava com um câncer encapsulado no rim esquerdo, em que a operação imediata evitaria problemas futuros. A internação, Senador Tião Viana, ocorreu na sexta-feira e, no domingo, me submeti à operação no Hospital Sírio-Libanês.

Felizmente, as conseqüências foram as mais positivas. Não houve necessidade de nenhum tratamento adicional, quimioterapia ou radioterapia, e estou aqui, exatamente, Senador Garibaldi Alves, para agradecer, em primeiro lugar, aos familiares, aos amigos desta Casa, que me confortavam com telefonemas e com visitas, aos Deputados, aos Prefeitos. Quero agradecer a todos que, naquele momento, tiveram a sensibilidade de, com uma palavra de conforto, socorrer a angústia de quem padece num leito de hospital.

Quero deixar aqui registrado nos Anais desta Casa meu agradecimento pessoal ao Governador José Serra, menos ao Governador e mais ao amigo, que desde o momento em que fui diagnosticado me deu telefonemas e foi ao hospital prestar sua solidariedade; ao Prefeito eleito Gilberto Kassab, que, no dia seguinte, deixou de lado as comemorações da vitória e ali compareceu; a diversos amigos, e a uma figura interessantíssima, queridíssima - e o Senador Wellington Salgado teve o prazer de, ao visitar-me, desfrutar da convivência agradável -, que é o extraordinário brasileiro Tom Cavalcante. O Tom me visitou, Sr. Presidente, na terça-feira de manhã. Cheguei a um determinado momento com desejo de pedir-lhe que saísse do quarto, por um motivo muito simples: a cada piada, eu não conseguia segurar o riso, naquele momento, não era o melhor caminho para quem estava convalescendo. Mas tudo isso, para quem está naquelas circunstâncias, é um momento de conforto, um momento muito importante. E eu não podia deixar, Presidente Garibaldi, de fazer esses agradecimentos. Agradecimento a V. Exª, que preocupou-se quase que diariamente com a minha saúde.

Mas quero fazer um registro de agradecimento aqui muito especial ao Dr. Miguel Sroupi, que foi o responsável pela minha cirurgia, ao Dr. Roberto Kalil Filho, meu médico e acompanhante há vários anos; à Drª Ana Maria; à Drª Mariana; à Drª Ariane; à Drª Viviane, fisioterapeuta; e a alguém que, a partir de agora, Sr. Presidente, quero crer, terá o maior trabalho de todos em todo esse processo, que é a nutricionista Drª Juliana, que terá a tarefa difícil de me fazer perder alguns quilos.

Quero agradecer também à Coordenadora da Enfermagem lá do 11º andar, Kássia Guerra; à responsável pela Hospitalidade, Drª Bruna D'Angeles; às enfermeiras Débora Britis, Débora Melo, Juliana Chade, Juliana Lucinda, Paula Gobi e Lúcia. Quero agradecer aos auxiliares de enfermagem Adilma, Silvano, Wilton - esse impecável - Ricardo, Márcio, Aurimar, Marcelo, Verônica, Edson e Ribeiro. Quero agradecer também, meu caro Senador Tião Viana, a alguns amigos que me confortaram, embora médicos, mas que foram ali como amigos: Raul Cutait, Paulo Chap Chap , David Uip, Silvano Raia, Aitã Sopein e Helenita. São amigos que se fizeram presentes durante todos esses dias.

Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, pulei esta fogueira, imbuído de muita fé e, acima de tudo, na certeza de que, nesse momento, as amizades se fortalecem, a solidariedade é vista de maneira muito especial.

Daí por que eu não poderia, de maneira nenhuma, Senador Antonio Carlos Júnior, a quem passarei a palavra com o maior prazer, de, num momento como este, deixar de fazer os agradecimentos que faço agora.

Concedo um aparte ao Senador Antonio Carlos, com o maior prazer.

O Sr. Antonio Carlos Júnior (DEM - BA) - Senador Heráclito Fortes, todos nós seus colegas aqui de Senado saudamos seu retorno gozando de plena saúde. Sua convivência realmente nos é muito cara. Ficamos todos contentes com seu pronto restabelecimento e seu retorno imediato aos trabalhos desta Casa. Portanto, é com muita alegria que nos manifestamos saudando a volta de V. Exª.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Muito obrigado, Senador Antonio Carlos Júnior.

Ouço, com prazer, o Senador Tião Viana.

O Sr. Tião Viana (Bloco/PT - AC) - Caro Senador Heráclito Fortes, ouvindo as palavras de V. Exª, me vem toda uma manifestação de sentimento, porque, durante muitos anos da minha vida, vivi dentro de hospitais, do amanhecer ao anoitecer, feriado, dia santo, carnaval. Foi um trabalho permanente dentro de hospitais, e sei exatamente o significado da expressão de afeto, de agradecimento com que V. Exª trata a equipe médica que o cuidou e os amigos quando chegam nessas horas. V. Exª ilustra muito bem: a amizade talvez seja a maior riqueza na vida de uma pessoa. E V. Exª teve isso no momento em que precisou. Então, da minha parte reafirmo aqui a intenção da melhor recuperação. Sei que V. Exª já está curado, apenas em uma fase de convalescença pós-cirúrgica e reagindo super bem. Tenha em nós um Parlamento que o enxerga como um combativo Senador de Oposição, com muita coragem e determinação. S. Exª procura honrar a função de Senador de Oposição neste momento, mas nunca perdeu o respeito por nenhum de nós. V. Exª e o ex-Senador José Jorge são duas pessoas cuja irreverência e criatividade no combate da boa política constituem uma parte muito rica dos bons momentos do Parlamento. Muita sorte para V. Exª.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço a V. Exª.

Ouço a Senadora Marisa Serrano.

O Sr. Marisa Serrano (PSDB - MS) - Muito obrigada, Senador Heráclito. Quero me unir aos nossos companheiros e cumprimentá-lo. Sentimos muito. Falei com V. Exª por telefone. Esta Casa perde muito do seu brilho sem a sua pessoa, sem a sua voz combativa, sem o seu companheirismo. Ficamos muito felizes de vê-lo aqui conosco. Para nós é uma satisfação poder debater, discutir, com V. Exª e, principalmente, privar do brilho de suas idéias. Ficamos muito felizes por vê-lo aqui conosco. Que Deus o conserve sempre com saúde.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Muito obrigado, Senadora Marisa Serrano.

Ouço o Senador Geraldo Mesquita.

O Sr. Geraldo Mesquita Júnior (PMDB - AC) - Prezado amigo Senador Heráclito Fortes, fico mais feliz ainda quando vejo a manifestação de seus Pares aqui em nossa Casa, bom como a alegria e a satisfação demonstradas pelo seu retorno, por sua recuperação. Insisto em dizer que V. Exª é de fato indispensável a esta Casa. É tão indispensável que participou, por telefone, de uma sessão de sexta-feira. Eu estava falando e V. Exª participou, pelo telefone, para proferir um aparte. Ou seja, isso é prova de que V. Exª é indispensável a esta Casa, que está muito feliz com seu retorno. Seja feliz e que Deus lhe proteja!

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Muito obrigado.

Senador Valter Pereira.

O Sr. Valter Pereira (PMDB - MS) - Senador Heráclito, é redundar dizer que V. Exª estava fazendo falta. Efetivamente todos nós estamos felizes com o seu retorno. V. Exª venceu um obstáculo que todos estamos sujeitos a enfrentar e hoje retorna a tribuna para dar melhor tempero aos debates que se travam nesta Casa. Quero dizer a V. Exª que me associo a todas as manifestações proferidas em solidariedade a V. Exª e que, do nosso coração, desejamos que V. Exª ocupe essa tribuna por muitos, muitos e muitos anos, porque V. Exª, com o discurso sempre oportuno, sempre vibrante, sempre responsável, faz o Senado brilhar sempre mais. Portanto, seja bem-vindo nesta memorável tarde em que V. Exª retorna a essa tribuna.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço a V. Exª, Senador Valter Pereira.

Concedo a palavra ao Senador Marcelo Crivella.

O Sr. Marcelo Crivella (Bloco/PRB - RJ) - Senador Heráclito Fortes, em meu nome pessoal e em nome da Bancada do Rio, eu quero aqui expressar, extravasar a alegria que nós temos em vê-lo novamente ocupando essa tribuna depois de momentos de apreensão. V. Exª vive e encarna muito bem esse dilúvio de ódios e paixões que é o Parlamento, que é o Senado Federal. Não há uma vez em que ações candentes toquem os interesses da valente terra do Piauí ou dos interesses do seu Partido e que V. Exª não seja o primeiro a levantar a voz. E as pessoas que o assistem em casa não sabem que isso tem um preço. Isso tudo tem um preço, porque não são palavras ditas ao vento; são palavras que saem do coração, da alma. São coisas que, mais na frente, acabam cobrando, organicamente, na saúde de quem ama e serve o povo como V. Exª. De tal maneira que trago aqui a minha alegria, a alegria da minha Bancada de vê-lo de novo ocupando a tribuna. Que fique aqui o meu testemunho ao povo brasileiro de que, muitas vezes, não se paga a devoção ao povo e às causas nacionais apenas com o infortúnio de um revés eleitoral. Às vezes, com a própria saúde de quem se entrega completamente a essa missão, com a fibra de um gladiador que V. Exª sempre demonstrou aqui, mas, muitas vezes, sofre e precisa de um tempo para restabelecer as forças do guerreiro. Deus o abençoe! Agradeço a Deus por tê-lo de volta aqui conosco.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço a V. Exª e concedo o aparte ao Senador José Agripino, Líder do meu Partido.

O Sr. José Agripino (DEM - RN) - Senador Heráclito, as pessoas no meu Estado andaram, ultimamente, me perguntando onde é que andava aquele Senador do Partido, da voz embolada. Eu disse: Qual é o da voz embolada? Eles diziam: “Aquele gordo.” Eu disse: Será que é o Senador Heráclito Fortes? Eles diziam: “É esse mesmo.” Eu disse: Ah, esse escapou. Andou doente, mas está zerado, pronto para a luta. E disse: “Bom, bom porque ele é dos bons: tem língua afiada, é dos que falam pelo povo. Eu estava sentindo a falta dele.” Eu disse: “Está voltando. Volta já, já.” E está voltando, já voltou. Eu fico muito feliz, Senador Heráclito, porque confesso que levei um susto, quando recebi a ligação, no domingo, de Mariana, a sua esposa, depois de nos encontrarmos na sexta-feira, em São Paulo, naquele jantar, depois do debate do Gilberto Kassab contra Marta; V. Exª, zerado, e, logo depois, chegava a notícia de que tinha sido operado, de que estava tudo bem, de que não precisava fazer quimioterapia, mas a gente sempre fica preocupado. E a sua presença aqui, corado, róseo, valente de novo, nos tranqüiliza a todos, para que a sua voz de piauiense valente, de posições firmes, lúcido, bem relacionado, bom companheiro, possa continuar atuando em benefício do povo do Piauí e de todo o Brasil. Seja muito bem-vindo ao convívio dos seus companheiros de Partido e ao convívio dos seus companheiros do Senado da República.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço, Senador José Agripino. E V. Exª testemunhou: eu saí, sexta-feira, de um debate, e, no início da madrugada, recebi o veredito que me conduziu à mesa da cirurgia no domingo. Veja como é a vida, como é a fragilidade da vida, a fragilidade do ser humano.

Senador Valdir Raupp, ouço V. Exª, com o maior prazer.

O Sr. Valdir Raupp (PMDB - RO) - Nobre Senador Heráclito, quero lhe desejar as boas-vindas novamente à Casa e, resumindo a minha fala, fazer coro aqueles que já aqui falaram. V. Exª sempre foi um vencedor, e não seria agora que ia deixar se abater. O que eu quero é pedir a Deus que lhe dê saúde e vida para durar cem anos, para continuar contribuindo para o seu povo do Piauí e de todo o Brasil. Sucesso!

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Que os anjos digam amém!

Sr. Presidente, quero finalizar prestando os meus agradecimentos aos funcionários da Casa, aos que contribuíram administrativamente para as soluções que precisavam ser dadas no âmbito hospitalar. Quero agradecer aos funcionários do meu gabinete.

Mas quero fazer um agradecimento aqui muito sincero e carinhoso aos jornalistas e às jornalistas que cobrem esta Casa do Congresso pela maneira carinhosa, pela preocupação que tiveram com meu estado de saúde durante todos esses dias. Quero dizer a vocês todos que eu me sentia a fonte mais importante do planeta ao receber sempre aquele questionamento e o desejo de um retorno breve. Eu recebia sempre, por intermédio de Letícia Borges, minha assessora de imprensa que me acompanha há alguns anos. Agradeço aqui.

E os agradecimentos finais, Sr. Presidente, são todos eles a minha família. A minha mulher, Mariana, às minhas filhas, a minha irmã Zélia, ao meu sogro que se deslocou imediatamente a São Paulo, a meus cunhados. Enfim, a todos que compõem a minha família, para mim, peça importantíssima. Amigos que se deslocaram de Teresina para levar o abraço: Cirilo Formiga, João Claudino Fernandes, Assis Carvalho, Clarindo Veras. Não quero enveredar pelo campo da injustiça omitindo nomes, mas quero agradecer de muito coração a todos eles. Que tenham todos a certeza da importância do gesto isolado de cada um.

Senador Alvaro Dias, com a tolerância do nosso Presidente, ouço V. Exª.

O Sr. Alvaro Dias (PSDB - PR) - Agradeço ao Presidente a tolerância, porque também quero manifestar a V. Exª os meus respeitos e a minha consideração pela figura humana que é. V. Exª vem de longe, com grande experiência política, e tem prestado um grande serviço a esta Casa, trabalhando para melhorar o nosso conceito e a nossa imagem, defendendo esta instituição como poucos. Por isso, a presença de V. Exª na tribuna e nas comissões é sempre essencial. Nós saudamos o seu retorno, com a mesma saúde de sempre, com o mesmo vigor de sempre, com a mesma veemência de sempre, com a mesma inteligência de sempre. Parabéns a V. Exª.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Muito obrigado, Senador Alvaro Dias.

Escuto o Senador Marconi Perillo.

O Sr. Marconi Perillo (PSDB - GO) - Prezado Senador Heráclito Fortes, eu estava participando de uma reunião, agora há pouco, quando assisti, pela TV Senado, ao pronunciamento de V. Exª. Acorri ao plenário, para manifestar também a minha alegria, a minha satisfação pessoal, como seu amigo, seu colega, pela recuperação desse problema ocorrido recentemente. Todos aqui, Senador Heráclito, torcemos muito pela recuperação de V. Exª. Temos por V. Exª um respeito e uma consideração muito grandes, porque V. Exª dignifica esta Casa, não só como Parlamentar de estirpe que é, qualificado, denso intelectualmente, comprometido com seu Estado, comprometido com a ética, com a lisura e com a honradez desta Casa, mas também como Presidente da Comissão de Infra-estrutura que foi, notável pelos debates protagonizados naquela comissão - hoje, com muita honra, presidida por mim - e, agora, como Presidente da Comissão de Relações Exteriores. Tenho tido oportunidade de acompanhá-lo em várias missões, tenho tido oportunidade de ver a forma como o senhor representa bem esta Casa, colocando a sua experiência, a sua alma, o seu talento à disposição do nosso País e do Senado Federal. Parabéns. As minhas boas-vindas e os meus cumprimentos pela plena recuperação.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço, Senador Marconi Perillo as palavras de V. Exª.

E, com a permissão do Presidente, concedo um aparte ao Senador Suplicy, que me distinguiu com telefonemas, com uma demonstração do carinho pessoal que nos une, apesar das eventuais e pontuais divergências.

O Sr. Eduardo Suplicy (Bloco/PT - SP) - Prezado Senador Heráclito Fortes, que bom que V. Exª esteja com boa saúde e com todo o vigor de sua energia para trazer aqui as suas fortes opiniões sobre os mais diversos temas, desde as questões do Piauí, do Deputado Nazareno Fonteles, que aqui nos visita, até as questões internacionais, pois V. Exª tem sido um Presidente muito atuante da Comissão de Relações Exteriores. Eu gostaria de aproveitar esta oportunidade para trazer uma notícia importante e relacionada à iniciativa tomada ontem pelo Presidente Garibaldi Alves Filho, quando expressou a importância de logo o Congresso Nacional completar a votação do projeto que regulamenta a atividade de lobby, projeto de seu colega de Partido Senador Marco Maciel. Eu gostaria até de chamar a atenção de V. Exª e do próprio Presidente Garibaldi Alves para a seguinte notícia: o Presidente Barack Obama anunciou novas regras para os lobistas durante esse período de transição. Ele mencionou que o seu Co-Chair John Podesta anunciou regras estritas com respeito ao que podem fazer os lobistas. Os lobistas federais não podem contribuir financeiramente para a transição. Os lobistas federais estão proibidos de realizar qualquer atividade de lobby durante o seu trabalho nessa transição. Se alguma pessoa realizou atividade de lobby nos últimos doze meses, ela está proibida de trabalhar em qualquer área da política em que realize o trabalho de lobby. É levantada uma proibição de qualquer presente que signifique influência de interesses especiais por parte desses lobistas. Quero informar que essa decisão recebeu a apreciação positiva de muitas pessoas, entre as quais o Sr. Thomas Mann, do Brookings Institution; do Sr. Norm Ornstein, do American Enterprise Institute, e de John Podesta, o co-chair do time de transição do Presidente Barack Obama. Quero saudar o Presidente Garibaldi Alves pela iniciativa. Os Deputados podem aperfeiçoar o projeto do Senador Marco Maciel, à luz dessas disposições firmes anunciadas hoje pelo Presidente Barack Obama. Muito obrigado.

O SR. HERÁCLITO FORTES (DEM - PI) - Agradeço a V. Exª pelo pronunciamento com relação ao restabelecimento da minha saúde. Fico comovido, sei das suas preocupações.

Congratulo-me com V. Exª pela sua oportunidade de aduzir a questão da aprovação, na Câmara dos Deputados, da nova Lei do Lobby. Espero que ela sirva para realmente regulamentar a profissão e evitar, no futuro, que partidos que, por exemplo, estão no poder passem vexames de convivências indesejáveis com aqueles que fazem não o lobby que a lei manda, mas o lobby abaixo da lei, aquém da lei, aquele lobby de pessoas que criam tantas dificuldades que, às vezes, Presidentes, em momentos de irritação, os chamam de aloprados. Fico muito feliz com V. Exª por essa referência e quero crer que esse pode ser um antídoto.

Sr. Presidente, agradeço pela sua tolerância, pela sua paciência. Sei que V. Exª faz isso num gesto de carinho a este amigo e admirador.

Por fim, Sr. Presidente, agradeço a todos, mas quero agradecer também a Deus por ter demonstrado que vai ter ainda muita tolerância na Terra com este pecador empedernido que hoje retorna às suas atividades.

Muito obrigado.


Modelo1 9/20/207:52